Arquivo da tag: viver fora

Vídeo: preços de mercado!

Padrão

Já tinha postado um vídeo express de uma ida ao Pingo Doce, uma das redes de mercado daqui, lá na fanpage – vai lá :)

Mas como alguns me disseram que eu não mostrei nada muito diferente, resolvi fazer um com produtos daqui OU que tenham preços muito diferentes. A intenção sempre mostrar as diferenças, não só as coisas inéditas. rs

Acabei mostrando pouca coisa graças ao celular que travou, mas dá pra ter uma noção. Fora que tem meus irmãos resolveram fazer comigo. Ficou engraçadinho. Mais engraçadinho ainda ficou meu cabelo. kkk

Clique na imagem pra ver! :)

Video

Se quiser saber o preço em real, basta multiplicar os valores do vídeo por R$3,15 (cotação de hoje).

Anúncios

Viver fora, saúde e frio

Padrão

Primeiramente, gostaria de saber o que seria novidade contar pra vocês. Falo isto porque sei que existem milhares de posts iguais, com dicas iguais e opiniões sobre os mesmos lugares. Isso não é ruim, afinal, cada blog/site tem um público e cada leitor mais afinidade com tal estilo. De qualquer forma, prefiro falar sobre as maiores dúvidas e curiosidades.
Se houver algo que eu possa contar, ou até correr atrás pra descobrir, é só pedir :)

Bom, resolvi fazer um post randômico e falar um pouco sobre algumas coisas daqui…

Viver em outro país

Quanto mais você viaja, mais percebe que os problemas são os mesmos, as manias são parecidas, a rotina também existe, tem gente do bem e do mal. Diferente do que pensam por aí, morar no velho mundo não é mais extraordinário do que no Brasil. Existem vantagens e desvantagens, como em todos os casos. Eu adoro a organização da cidade e como o transporte público funciona maravilhosamente bem aqui. Por outro lado, detesto o mau humor e frieza da maioria das pessoas. Nada se compara ao tratamento caloroso dos brasileiros. É fantástico viver as quatro estações bem definidas aqui, mas confesso ter saudade da instabilidade de Brasília, por exemplo. Lá você pode tirar e colocar o casaco a hora que o tempo mudar, aqui não. Se estiver de saco cheio do frio, paciência, aguente os meses do inverno calado. Sou fascinada pela arquitetura daqui, pelas construções antigas e como elas se misturam em meio a tanta modernidade. Da mesma forma que adoro aquele amontoado de prédios em São Paulo e os morros de Minas Gerais. Tudo depende do que você está disposto a viver.

Farmácias-consultórios

Outro dia, uma amiga brasileira que mora há anos aqui, me disse algo interessante: do que adianta ter aparelhos modernos se o sistema operacional é antigo? No Brasil, costumamos comparar o sistema de saúde e dizer que aqui na Europa tudo é melhor. A questão é que em termos de tecnologia, eles estão mesmo avançados, mas a logística é retrógrada em muitos casos. No Brasil, se você precisa de um dermatologista, liga em um consultório da especialidade e marca. Aqui não. Você vai ao hospital, passa pelo clínico geral (chamado doutor de família, pois atende todos) e ele vai te medicar. Se não resolver, você retorna e tenta nova análise, outra medicação, depende. Se no terceiro retorno não tiver resolvido, aí sim ele vai te indicar um médico com a especialidade necessária. Parece confuso? Pois é. Não posso afirmar por experiência própria, mas todas as famílias amigas daqui contam a mesma história. Fora que é tão caro como o serviço privado no Brasil. As consultas variam de €40 a €100, se não me engano.

Ui, enfim, tudo isso pra dizer que uma ótima opção é ser orientado nas farmácias. Isso mesmo, antes de passar por um hospital. Os farmacêuticos daqui são meio médicos (vou me informar melhor, mas parece que a formação acadêmica deles é mais completa e permite isso). Seja por uma alergia, febre alta ou fortes cólicas, passe em uma farmácia, receba um orientação express sem custo e pronto. Ou eles vão confirmar que o caso é grave e te encaminhar pro médico, ou ele vai ser capaz de te medicar corretamente. Foi uma recomendação dos locais e deu super certo.

*é claro que se o caso for obviamente grave, você deve correr para a emergência mais próxima.

Como aguentar o frio?

Não sei. haha E olha que Portugal é um dos menos frios da Europa. Tem alguns truques super usados, mas não tem jeito. Nariz, mãos e pés sempre revelam a temperatura. O mais recomendado é se proteger ao máximo,  mas não necessariamente com 40 casacos. O ideal é usar sempre uma básica (como eles chamam as malhas de manga e ‘aveludadas’ por dentro), suéter e um bom casaco acolchoado. Além disso, meia calça por baixo da calça em dias muito frios e luvas. Mas se tem um item indispensável é o cachecol/lenço. Compre um quentinho e não saia sem ele, protege mesmo. Passe protetor labial sempre também. Sei lá, não tem muitas dicas. Descubra seu jeito mais confortável de enfrentar o frio.

—————–

Umas fotos pra colorir o post!

IMG-20141227-WA0141IMG-20141227-WA0167IMG-20141227-WA0188IMG-20141226-WA0127 IMG-20141225-WA0079 IMG-20141225-WA0090IMG-20141227-WA0197

Fotos: AnnaBeatrip – sem filtro, tiradas pelo celular Galaxy Grand Duos