Arquivo da tag: scrapbook dos viajantes

Próxima Anna’s trip! rs

Padrão

Eu tô vacilona, eu sei. Me comprometi a indicar um filme toda sexta-feira, mas fiquei doente bem no dia e estou até hoje. Ninguém escolhe ter infecção de garganta braba em pleno final de semana né? Mas é isso aí!
Hoje levantei pra colocar algumas coisas em dia antes de viajar, já que a semana vai ser corrida.

Falando em viajar, vou aproveitar esse post apologize e falar um pouquinho sobre a nossa próxima viagem.

O carnaval se aproxima e sei que uma turma já está empacotando as tralhas pra aproveitar o feriado.
Eu não estou em situação diferente. rs
Já que não tive férias e não viajei no fim de ano (só dei um pulinho express em Botucatu em dezembro), estou mega feliz com a possibilidade de viajar na próxima semana. Eu e minha fiel companheira de viagens, Sarinha, embarcaremos no próximo sábado para o sul do país. Eu bem que queria dar um pulo em Salvador, dar um cheiro em umas pessoas queridas (♥), mas adiei meus planos e espero visitar a cidade nos próximos meses.

Eu e Sarah temos uma queda por essas ‘frias’ regiões e não é segredo de ninguém, mas foi pensando em trazer uma opção alternativa de como aproveitar o carnaval que decidimos por esse destino. A intenção não é só explorar a capital do Rio Grande do Sul, mas suas redondezas. Pesquisamos, lemos,  pesquisamos de novo, ouvimos conselhos de moradores da região (alô Álvaro!) e, por fim, traçamos um roteiro super legal para esses dias. Em nossa programação teremos um elemento surpresa, iremos a um lugar lindo de viver que eu, na minha ignorância, nunca tinha ouvido falar. Excited!

Espero voltar de lá com bastante informação, fotos/vídeos (Sah rocks! rss) e mostrar pra vocês um pouquinho mais do território gaúcho. Dá uma olhada nos cenários do nosso próximo destino.

porto alegre porto alegre 3porto alegre 4 cambará

E vocês? Ficam em casa ou fazem as malas?

Anúncios

Dubai & Egito, por Monique #4

Padrão

“Arrisco dizer que o Egito é o lugar mais fantástico que existe. Nenhum Burj Khalifa se compara à megalomania daquele povo antigo. Ver de perto templos gigantescos que ainda conservam muitas salas, colunas, escrituras e esculturas te faz se sentir pequenininho demais.

Começamos nossa viagem na cidade do Cairo. Pensem numa bagunça! Além de muita pobreza, prédios sem acabamento, as chamadas “cidade dos mortos-vivos” – cemitérios onde vivem pessoas -, lixo no meio da rua e muita falta de higiene com a preparação de alimentos e etc. Um trânsito from hell. Indescritível. Sem faixas, sem semáforos, gente atravessando no meio das ruas, carros quase arrastando as laterais umas nas outras, buzina, buzina, buzina. Isso tudo cercando as pirâmides, visíveis praticamente de qualquer lugar da cidade, que cresceu tanto que se encontra praticamente engolindo esses monumentos.

Egito ruas

Egito transito

Egito transito 2

 Nosso hotel, mesmo, o Mercure Le Sphinx (parênteses pra elogiar o melhor café da manhã ever!), ficava em frente às pirâmides, coisa de ir andando mesmo. É uma reação bastante espantosa no começo, mas depois de se acostumar dá até pra achar tudo muito poético: as mesquitas, no final da tarde, com o pôr-do-sol e as pirâmides ao fundo, várias caminhonetes e vendedores de rua, egípcios gritando hieróglifos loucos que fazem sempre parecer que um está para meter a mão na cara do outro, quando na verdade estão só conversando.

Egito por do sol mesquitas

Quando chegamos, fomos para um jantar árabe num barco que atravessa o rio do centro da cidade, com direito a um show de odalisca, um jantar delicioso com comidas típicas e uma bela visão de Cairo à noite, que por incrível que pareça é muito bonita.”

Egito restaurante 1

Egito jantar

Egito barco noite

Dubai & Egito, por Monique #3

Padrão

“Finalmente, Burj Khalifa e Dubai Mall! Eu nem acreditava que iria conhecer os palcos dos documentários sobre a Dubai que eu via na Discovery Channel. Mas sim, eles existem e são lindos! A região por si só já é um espetáculo.O prédio mais alto do mundo e o maior shopping do mundo rodeiam as famosas fontes que à noite dão um show com luzes a cada meia hora.

Dubai fonte
Mais uma vez, procurei pelos leprechauns da limpeza. Até os postes são lustrosos, e as calçadas de granito. Alguns prédios à la mundo muçulmano, que muito me lembrou meu joguinho de infância Crash Bandicoot na fase da Arábia, outros monstos de uns 70 andares e várias palmeiras cercando as fountains. Isso tudo nada se compara à sensação de subir no Burj Khalifa.

Já na entrada, vários textos nas paredes, corredores com telões e músicas árabes no plano de fundo, paredes com esboços do projeto do prédio. Subimos até o 124º andar (os vários metros para cima são dos sheiks poderosos) num dos elevadores mais rápidos do mundo, de 10 m/s – nenhuma sensação física fora os múltiplos entupimentos de ouvido na subida. Lá de cima, tudo é impressionante. Dá pra ter uma visão 360º da cidade num espaço cercado com janelas de vidro, de onde se vê Dubai como uma maquetezinha. Na lojinha de lá comprei o famous chocolate de leite de camelo, que já havia comprado no souk antes. Sim, é feito com leite de camelo e é muito gostoso!

Montagem predio alto

Leia o resto deste post

Dubai & Egito, por Monique #2

Padrão

“Chegamos à noite, e, como era livre, fomos atrás do que fazer.  A vida noturna de Dubai é mais dedicada aos turistas, então acaba sendo caro se divertir por lá. Apesar disso, existem opções muito legais, como o bar de gelo e o Buddha Bar, que custam seu fígado e mais algumas vísceras, mas deve valer muito a pena conhecer. Enfim, acabamos indo para o Hard Rock, onde estava tocando uma banda ma-ra-vi-lho-sa. O legal é que táxi lá não é muito caro, eu arriscaria dizer que é mais barato que em São Paulo – com o plus de serem luxuosos.

bar de gelo dubai

Buddha-Bar_Restaurant

No dia seguinte, meu pai e algumas pessoas do grupo foram visitar Abu Dhabi, a capital dos Emirados Árabes, e eu acabei ficando no hotel, pois precisava repor as inúmeras noites de sono perdidas no Egito. Confesso que me arrependi vendo as fotos depois, pois a cidade parece ser tão bonita quanto Dubai.

Enfim, no final da tarde saímos para um churrasco no deserto. Ninguém sabia ao certo como iria ser esse esquema, eu mesmo estava achando que pararíamos no meio do deserto para comer cactos fritos ou algo do tipo. Nem preciso dizer qual foi nossa surpresa ao pegarmos uma Land Rover que nos levou para um rali nas dunas desérticas com um belo de um pôr-do-sol de plano de fundo!

Dubai paisagem Dubai sentado na areia

Dubai churras 1

Só isso já teria feito valer meu dia, mas como a vida é muito bela e pode sempre melhorar, chegamos no lugar do famoso churrasco. O Desert Camp é uma fazenda de camelos que promove churrascos à noite para vários turistas, e é todo decorado e iluminado para te fazer sentir como se estivesse no filme do Aladin. Mesinhas redondas e baixas rodeando um palco onde são feitas danças árabes e show de odalisca, cabaninhas dedicadas a vendinhas, ambiente com Narguile.

Dubai churras 2 Dubai churras 3

Pronto, tudo perfeito! Junte isso a um buffet cheio de saladinhas árabes com deliciosos molhos, babaganoush, tahine, hommus, espetinhos de frango e kafta no pão sírio com molho de iogurte e você tem o dia mais lindo da sua vida. Voltamos ao hotel extasiados e dormimos para um outro passeio incrível no dia seguinte.”

Dubai familia

Fotos: Divulgação/Monique Cruvinel

 

Leia o post #1 da viagem de Monique.

Dubai & Egito, por Monique #1

Padrão

Uma das coisas que mais me apaixona nesse blog é a chance de trocarmos experiências. Cada vez que recebo um relato de viagem, me teletransporto para o destino em questão e me imagino em cada situação. Não tem jeito.

Monique Cruvinel nos enviou um relato de sua  recente viagem à Dubai e ao Egito e me deixou encantada com a riqueza de detalhes. Por este motivo, decidi dividir em 7 (sete!) posts pra vocês aproveitarem melhor as informações. Gente, isso nunca aconteceu. haha Mas vocês vão ver que eu tenho razão! Thankssss, Monique!

“Conhecer mitos da modernidade e do passado sempre foi uma vontade meio platônica que eu tinha. Até eu pôr os pés nas terras árabes, a ficha não tinha caído que iria para Dubai e Egito. Surreal. A experiência mais legal que tive, sem dúvidas, e talvez a mais legal de todas.

Dubai capa

Fomos em um grupo de excursão eu, minha irmã, meu pai, meu tio e mais umas 10 pessoas. Voamos de Emirates (melhor companhia ever, apenas) e aguentamos as 14 horas de voo até Dubai. O aeroporto já é lindo, com grandes colunas espelhadas, relógios Rolex nas paredes, cascata d’água na parede, luzes coloridas na entrada… Algo curioso são as prayer’s rooms, salas de oração que ficam ao lado dos banheiros.

Dubai colunas espelhadasDubai 2

Os funcionários vestindo roupas árabes e mulheres de burca contribuíram muito para uma ótima primeira impressão de Dubai. Dali fomos pro hotel vendo mais luzes coloridas emanando dos prédios e os carros de luxo nas ruas. Ficamos no Arabian Park, em frente a uma mesquita (uma das coisas que mais gostei, por causa da musiquinha que toca quando vão chamar os muçulmanos para rezarem). Dormimos e acordamos no dia seguinte para um tour pela cidade.

Dubai 4

O primeiro contato com Dubai é impressionante: vários prédios gigantescos e espelhados, shoppings e luxuosos bairros residenciais, uma linha gigantesca de metrô. As ruas são tão limpas que tive a impressão de que leprechauns brotavam do chão e saíam limpando e lustrando tudo a toda hora. Passamos pelo hotel-sete-estrelas-mais-lindo-do-mundo Burj al Arab, pela ilha de Palm Jumeirah, em formato de palmeira, com hotéis enormes e lindos e propriedades de alguns astros de Hollywood. Fomos ao Dubai Museum (que na minha opinião está mais para memorial, mas vale a visita) e seguimos para o centro da cidade, rodeando o creek.

Dubai Montagem 1

O creek é um canal que divide a cidade ao meio, e lembra Manhattan. Muito agradável, cheio de comerciantes e turistas, cercado pela visão da skyline de Dubai com um mix de prédios de diferentes tamanhos e formatos. Ali ficam ancorados alguns barquinhos de madeira que fazem passeios à noite, iates e os “abras”, táxis aquáticos que pegamos para chegar aos famosos souks.

Dubai 3

Mercadinhos, finalmente! Yey! Ali foi meu primeiro contato com a loucura dos vendedores árabes, gritando preços e jogando pashminas em cima de você, te puxando para entrar dentro das lojas e te perseguindo até te vencer pelo cansaço. Experiência engraçadíssima. Ficamos pouco tempo, mas eu passaria horas andando naqueles corredores cheios de temperos, roupas, lembrancinhas e ouro (muito ouro!), aproveitando os preços muito menores que os dos shoppings. Voltamos para o hotel e nos arrumamos as coisas para embarcar para Cairo no dia seguinte, viagem que merece um post próprio.”

Dubai montagem 1

Vambora com o leitor #7

Padrão
Hoje o “Vambora” é com uma pessoa muito fofa e que já apareceu aqui no blog. Quem não viu o texto lindo sobre a importância de uma trilha sonora na hora de viajar, clique aqui.
Rany mandou o relato de sua passagem pela charmosa Pirenópolis/GO no mês de dezembro e manda umas dicas legais pra vocês. Take a look!

3 Pirenopolis
“Pirenópolis continua sendo destino certo para os centro-oestinos que querem fugir, um pouquinho, de suas respectivas metrópoles. Passei a véspera do meu Natal por lá. Durante o fim de semana, a cidade estava vazia mas a promessa dos pirenopolinos é de que o fluxo aumente em janeiro e fevereiro como de praxe.

2 Pirenopolis

O calor continua impiedoso e seco, por outro lado a natureza é generosa. Mergulhar nas cachoeiras que se espalham por Piri é irresistível, mas, quem planeja fazer as malas nos próximos meses precisa tomar cuidado: épocas de chuva são propícias para as temidas trombas d´água – que podem causar acidentes fatais. A profundidade é uma a armadilha e a ausência de guias e salva vidas  aumenta o perigo.
Quem não quer correr o risco pode traçar um roteiro baseado nos casarões colonial, costumes e tradições que remontam ao inicio do século XVIII – e, claro, as opções boémias da Rua do Lazer.
1 Pirenopolis
Conseguir uma pousada que ofereça alternativas para se refrescar é uma boa. Nessa minha última ida fiquei na Pousada Vila Mariana. O lugar é lindo: cercado por áreas verdes, com uma piscina deliciosa, decoração típica, atendimento tipicamente goiano é, como se não bastasse, fica perto da rodoviária e dos pontos turísticos da cidade. A diária também é um pró. Em temporada, o quarto triplo sai em média R$ 180. Vamos combinar, tá super em conta.
6 Pirenopolis
Ou seja: dá pra ir.
Com cuidado, planejamento e pouca grana. Durante minha passagem de dois dias, com a Larissa, comi muito bem, fiz comprinhas, fiquei num lugar bacaninha e acredito que o custo tenha sido inferior a R$ 400, por pessoa.”
Excelente opção pra quem quer fugir da rotina hein?
Honey Rany, muito obrigada pelas dicas e fotos lindas!

Viagem sem trilha sonora não rola!

Padrão

Se você anda desatualizado, não se preocupe! Nós preparamos uma playlist para cada perfil.

Veja o que mais combina com você e mande pro iPod!

folksbrasileirandosertanejo2eletronicass

É, eu sei que algumas músicas já estão meio velhinhas, mas achamos legal colocá-las mesmo assim. rs

ps: cada imagem com tamanho de fonte diferente. hahaha blogueira nota 10!
ps²: Jorge Ben*