Arquivo da tag: parques

AnnaBeatrip na mídia

Padrão

Quem acompanha a nossa fanpage (curte aí!) já deve saber que fui convidada para escrever uma matéria pro Jornal Brasília Capital. O convite surgiu de forma bem informal, de quem leu o blog e gostou, e me deixou bem empolgada, afinal, é a primeira vez que o blog sai em um veículo impresso.

Super obrigada ao Julio e ao Gabriel, da redação do Jornal, pelo convite e por confiar uma página da edição especial de fim de ano. Espero que os leitores do jornal curtam e vocês também!

Com a correria dessa semana, ainda não acessei a edição em PDF, então trago pra vocês alguns cliques que fiz da publicação. Assim que conseguir, faço um update com o link.

pilha jornalbsb capital

O Jornal Brasília Capital também tem página no facebook hein, basta clicar aqui.
E vocês também podem acessar o blog deles por aqui.

Muito obrigada mais uma vez à equipe do jornal! Espero contribuir com vocês mais vezes!

Anúncios

Ecologicamente correto: why not?

Padrão

Como não recebi as fotos do coquetel ainda, vou deixar pra falar mais pra frente.
Bom, depois de uma semana muito cheia e agitada, a vida começa a voltar ao normal.
E já que estou precisando de um descanso, resolvi falar sobre um livro que comprei na minha última ida a Curitiba. Fui buscar um amigo na PUC e dei de cara com uma exposição de livros a R$10. Não pensei duas vezes. Além de ser um livro bem fofinho, é prático e traz indicações ótimas de viagens ecológicas.

O fim do ano está aí, daqui a pouco chega o carnaval e você que não é da folia fica sem saber pra onde ir. Essa é a sua realidade? Então sugiro que invista nessa aquisição. Se você curte um tempo tranquilo, conhecer paisagens diferentes, se quer entrar em contato com uma realidade diferente da nossa, vítimas cruéis do capitalismo, essa coletânea de hotéis/pousadas/albergues ecologicamente corretos vai te ajudar bastante. Não são opções muito baratas levando em conta o deslocamento, mas se você planejava gastar de qualquer jeito, repense sua escolha =)

Ainda não tive a oportunidade de conhecer, mas separei três opções que melhor se encaixam nas categorias Ambiental (avaliação dos empreendimentos sob o aspecto do impacto ambiental) e Social (avaliação com base no desenvolvimento que o estabelecimento pode trazer aos moradores e comunidade).

Black Sheep Inn ✽✽✽✽✽
Chugchilán, Cotopaxi, Equador
Diárias: US$25-70 por pessoa por noite, com café da manhã e jantar

O Black Sheep Inn é mais do que um modelo para uma vida de baixo impacto: é um lugar confortável e acolhedor. Os chalés são feitos com palha tradicional e aquecidos por fornos a lenha. Em uma reforma recente, banheiros foram instalados em três quartos, e a água é aquecida pelo sistema de energia solar.

A comida vegetariana é quase 100% cultivada no terreno da propriedade e é servida em um salão comunitário, onde servem agua purificada por ozônio ou vinho chileno. A preservação está em primeiro lugar e o reaproveitamento é tamanho que a pousada gera apenas 30g(!!!) diárias de resíduo por hóspede.

Sem dúvidas uma das opções que mais me despertou interesse.

Black Sheep Inn Equador

Iwokrama Field Station e  Canopy Walkway ✽✽✽✽✽
PO Box 10630, 77 High Street, Kingston, Georgetown, Guiana
Diárias: US$135 por chalé (para 6 pessoas) por dia, com todas as refeições.

“É difícil compreender a rara presença da Guiana nos roteiros de turistas que viajam pela América Latina. O país tem a maior porcentagem do território ocupada por floresta primária e reúne paisagens fabulosas”, assim começam a falar sobre esse ‘desconhecido’ lugar.

Iwokrama Forest Field Station faz parte de um conjunto de locais interessantes e hospedarias no interior da Guiana. O acampamento-base fica no centro da floresta, nas encostas do Essequibo, principal rio guianense. A 2 horas de lá está a Conopy Walkway, passarela suspensa que atravessa a copa das árvores ainda não violadas pelo desmatamento. Passeio obrigatório para quem estiver por lá…

Formado por 3 chalés com capacidade para 6 pessoas, o acampamento também conta com quartos que ficam em albergues coletivos, interligados por uma varanda coberta. Apesar da caractéristica rústica, as acomodações são confortáveis.

Interessante saber: A ONG Iwokrama oferece apoio efetivo a 14 comunidades indígenas, inclusive as aldeias dos macuxis, que recebem treinamento, formação e emprego.

Iwokrama

Maho Bay Camps e Estate Concordia ✽✽✽
PO Box 310, Cruz Bay, St John, Ilhas Virgens Americanas
Diárias: tendas em Maho Bay a partir de US$80 por noite para duas pessoas; tendas ou apartamentos-estudio em Estate Concordia a partir de US$95 por noite para duas pessoas.

 O Maho Bay Camp, localizado na Ilha de St. John, nas Ilhas Virgens, possui tendas moderníssimas, com deque privativo e vista para o mar. São 114 chalés e nove apartamentos-estúdios pra quem quiser algo mais luxuoso. O resort tem um programa de recuperação ecológica e serviram de base para o segmento.

Há também o Estate Concordia, que é um empreendimento recente desenvolvido no outro lado da ilha. Com 21 hectares, numa península banhada pelo mar do Caribe, é formado por 40 tendas-chalés, um centro de ioga, restaurante e um estúdio que ilustra como os resíduos do resort poderão ser convertidos em obras de artes. Outro incentivo é o fato de que as duas unidades do resort tem fácil acesso a mais de vinte trilhas.

Uma curiosidade: a limpeza dos quartos é de responsabilidade do hóspede, inclusive varrer o chão e arrumar as camas. É uma forma de diminuir a produção de lixo e desenvolver a consciência ecológica. Há quem questione essa medida, mas eu achei muito bacana!

Maho Bay Estate Concordia

Fonte: Guia Viagens Ecológicas

Muito legal né?
Sugiro  que entrem nos sites e explorem um pouco mais desses lugares incríveis…
Excelentes opções para fugir da rotina ou até mesmo para uma viagem romântica, não?

Aposto que você desejou estar lá tanto quanto eu!

Alô Goiás!

Padrão

Quem me conhece sabe que não é de agora que frequento o estado goiano, né? Goiânia especialmente.
Minha história com essa cidade é antiga, desde criança mesmo, mas só há menos de dois anos descobri um lugar imperdível.
Na verdade, Lucas (♥) me apresentou dois lugares belíssimos em Goiânia que fogem do roteiro shopping-feirinha da lua (falo dessa aqui as soon as I can). Estive lá nesse último final de semana pro casamento de uns amigos (Parabéns Loris e Estevão!) e aproveitei pra tirar umas fotos pro blog.

A primeira parada foi no Vaca Brava, que é um parque pequeno  e aberto bem no centro da cidade, ao lado do Goiânia Shopping (só uma estreita rua separa os dois). O legal de lá é que de dia você pode curtir a vista do lago pra tomar uma água de coco e ficar de bobeira. Já a noite você pode sair pra comer, já que há muitos bares e restaurantes que cercam o parque, e de quebra dar uma voltinha à luz do luar com seu paquera (ou com os amigos, claro! rs).

De lá seguimos para o meu favorito, o Parque Areião (♥♥♥). Pra mim é sagrado passar por lá quando estou em Goiânia, nem que seja por poucos minutos. O lugar é muito gostoso, bonito, cheio de macaquinhos, lagos, parquinho pras crianças, e a cada curva uma descoberta mais bonita. É bem maior que o Vaca Brava e também localizado no centro da cidade. Recomendo que você vá com tempo e com uma câmera, de repente até um livro e uns lanchinhos. Mas pera lá! Se levar comida, leve escondida na mochila, porque os macacos farejam de longe um rango. hehe Leve algumas frutas e tenha o prazer de alimentá-los de perto sem precisar dividir. rs
ps: eles não atacam e pegam as frutas na sua mão sem drama, mas não tente bancar o esperto, afinal, a casa é deles.

E pra vocês medirem o nível das girls..rsss

Fotos: AnnaBeatrip/Lucas Faria

Deu pra ver que minhas companhias tornaram o passeio mais legal e engraçado ainda! Thanks, guys!

EXTRA: SERIA TRÁGICO SE NÃO FOSSE CÔMICO!

Como nem tudo na vida são flores, quero compartilhar uma história muito engraçada que vivi em Goiânia dia desses.
Fui trabalhar num show que rolou na cidade há uns 3 meses e fui com meu carro cheio. Sarah, Wouenifer, Laís e Gabriel foram meus companheiros de aventura. rss

O show ia terminar muito tarde, como previsto, e um amigo meu ofereceu o apê dele pra gente pernoitar e voltar pra Brasília logo cedo, mas adivinha só o que aconteceu depois do show: ele me deu boa noite e vazou pra casa deles. hahaha! Acredite! Se ele esqueceu ou fez de propósito, não sei, mas sei que nesse momento eu senti muita aflição. Imagine só: eu me responsabilizei diante dos pais da galera que veio comigo que não dormiríamos na rua e olha que situação!
Bom, liguei pra inúmeros amigos em Goiânia, mas a Lei de Murphy foi eficaz e ninguem atendeu. Pra piorar, eu não sabia andar na cidade e mesmo sendo tão frequente por lá, a logística do trânsito nunca entrou na minha cabeça. Sei que saí rumo ao centro da cidade e parei num posto de gasolina com um Subway 24h (pensei: se nada der certo, pelo menos a gente fica aqui onde tem civilização.). Tentamos mais uma vez alguns números e nada, quando Laís lembrou que uma tia morava nas redondezas. Hesitamos em fazer o contato, afinal já eram 2h da manhã, mas no desespero não teve jeito, ligamos! Graças a Deus, tia Lenice (anjo!) prontamente nos atendeu e ensinou o caminho. Por sorte estávamos há poucas quadras da casa (como pode né?) e chegamos rapidinho. Dormimos cada um numa cama, no bem bom e ainda tivemos café da manhã!

O que seríamos sem essas histórias pra contar, né? Eu acho o máximo! hehe

Alguém aí já passou uma situação inusitada em viagem também?

Beijos

Curitiba, te quiero.

Padrão

Quem me conhece sabe que estive no Paraná entre os dias 11 e 17 de julho pra aproveitar o finzinho das férias, e não teria melhor companhia nessa viagem do que minha linda amiga-irmã Sarah. Aproveitando o ensejo, quero dar a feliz notícia de que a partir de agora Sarinha estará colaborando com o blog com suas habilidades fotográficas e criatividade. Estou mega feliz por essa parceria fofa, aguardem muitas coisas legais…

Voltando ao assunto, estive especificamente em Curitiba. Essa cidade é tão incrível que nem sei por onde começar…

Curitiba é encantadora em todos os sentidos, da arquitetura ao clima. Com 319 anos de idade, a cidade está em perfeito estado. Os monumentos, igrejas e ruas estão muito bem conservados, e aqueles que se desgastaram muito com o tempo estão sendo reformados. São raríssimos os cenários sujos por lá, tem sempre algum profissional da limpeza cuidando das avenidas e calçadas; o transporte publico funciona, e não é à toa que é exemplo nacional (se você discorda, acredite: está reclamando de barriga cheia, pois a realidade do Brasil à fora é desesperadora, inclusive na capital do país!). Embora tenhamos feito vários trajetos a pé, o ônibus é um meio essencial. Já deu pra perceber que ficamos impressionadas com o bom funcionamento dessa capital. Não tem como não se apaixonar! rs

Bom, a primeira coisa que você deve fazer ao decidir seu destino é programar seus dias para otimizar seu tempo. Pensando nisso, preparamos esse post com dicas importantes e passeios favoritos! Let’s see…

Dica 1: trate de descolar uns mapas turísticos da cidade, você vai conseguir se virar muito bem pelas orientações deles. Você encontra em qualquer hotel/hostel/albergue, ou até mesmo em alguns quiosques dos shoppings. Você pode muito bem visitar os pontos turísticos se informando e usando os ônibus convencionais da cidade, mas se você tem o tempo curto e prefere a comodidade, compre o vale de R$27,00 do City Tour, que dá direito a 5 paradas.

Dica 2: se na sua hospedagem tem cozinha (muito comum nos hostels e albergues), opte por fazer algumas refeições caseiras, é mais saudável, econômico e é uma excelente oportunidade para fazer amizade com os colegas de quarto. Na foto abaixo temos um strogonoff delicioso preparado por nós (yay!) e Cup Noodle comprado numa lanchonete num dia de bater perna. #mochileironãotemfrescura!

Dica 3: verifique antecipadamente o clima da cidade-destino. Não há nada pior do que passar frio ou calor quando o que você mais quer é curtir seu passeio. Confesso que nós não acreditamos muito nas temperaturas baixas de Curitiba e penamos! =( Esteja prevenido!

Colaboração de imagem: André Gallas

Ópera de arame

Essa aqui todo mundo já ouviu falar, é ponto turístico clássico de Curitiba e vale sim a visita. Não há muitas atrações, mas o visual é muito legal e bonito, e não paga pra entrar! =)

Parque Tanguá

Esse parque fica a poucos quilômetros da Ópera de Arame, então se você não tem problemas em caminhar um pouco e quer economizar uma passagem de bus/passe do city tour, se informe e vá andando.
O Tanguá já encanta na entrada, é belíssimo, bem cuidado e a vista é incrível. Tem um ar muito europeu, como várias partes da cidade. Ele fica num ponto alto da cidade, então basta subir alguns degraus na torre do prédio e ter uma vista deslumbrante. Custo: R$ 0!

Jardim Botânico

Clássico dos clássicos. Esse aqui é uma fofura… Não é tão grande, mas é nele que se encontra o cartão postal mais famoso da cidade. Como todos os parques de Curitiba, é extremamente bem cuidado, a equipe trabalha o tempo inteiro cuidando das flores, da grama, de tudo. Rende belas fotos para os turistas, sem dúvida! Custo zero também.

Paço da Liberdade

Monumento recém-reformado (2009), belíssimo, bem no estilo europeu. É bem fácil chegar… Pegue um ônibus até a Praça Rui Barbosa, ande um pouquinho e encontra a famosa Rua XV de Novembro, onde se concentram muitas lojas e restaurantes, se informe e em poucos minutos estará a frente deste prédio. Nós tivemos o prazer de conferir algumas instalações de arte no interior do Paço, mas mesmo se você não encontrar nenhuma, vale a pena sentar e tomar um café no Café do Paço, logo na entrada. Pra entrar, custo zero também. Infelizmente não se pode tirar foto em todos os cômodos… *Ah, não deixe de conferir as floriculturas que ficam na pracinha! As  flores são incríveis. ♥

Passeio Público

Antigo zoológico da cidade, hoje abriga somente alguns pássaros e está localizado no centro comercial da cidade, bem próximo ao Shopping Muller. (Estar no centro da cidade não era nada saudável para os animais, que começaram a morrer. Por esse motivo foram deslocados para uma área bem distante.) No meio da praça você vai encontrar um laguinho onde é possível dar um rolê de pedalinho. rs Custa apenas R$9,00 por dupla, para o período de 15 minutos. Vale a pena, gente! Nós curtimos bastante.. Ah, em uma área do Passeio muitos senhores se encontram no fim da tarde pra jogar xadrez! Fofura! Custo: de grátisss!

Espero que vocês tenham curtido esse ‘passeio virtual’, porque nós amamos!
Se tiver alguma dúvida, ou quiser informações mais precisas de algum lugar, deixe aqui embaixo que a gente tenta ajudar.

Beijocas!

3º dia – 14/12/11

Padrão
Pois é, não consegui tempo postar antes, então hoje espero relatar mais de um dia pra não acumular. Ah, vou me referir sempre ao dia como se fosse hoje. rs Então, hoje o dia estava muito gostoso. Acordamos com um solzinho, tomamos café e fomos conhecer o Westwood Park, que fica a uns dois quarterões do nosso hotel. Engraçado é que não estamos no outono, mas as folhas caem como se estivessem…
Bom, o parque é uma gracinha, pequeno, mas bem frequentado e ao mesmo muito tranquilo.

Ficamos por lá um tempo e depois fomos encontrar a Jaque na escola. Depois de batermos perna com o grupo, descobrimos um restaurante muito legal, o Barney’s Beanery. Tem um visual muito colorido e iluminado, com uma cara bem ‘texana’. A comida é muito boa e o preço também é razoável. Pelo local, visual e atendimento do restaurante, achei barato pagar U$ 13 numa refeição com bebida.

No início da tarde pegamos um ônibus e fomos até o centro, passamos por vários bairros famosos e descemos sem querer em Chinatown. hehe Percebendo que tínhamos errado o destino, pegamos novamente o ônibus e pulamos algumas paradas depois. No centro ‘oficial’ de Los Angeles estão concentradas muitas lojas, então nosso passeio girou em torno disso e compras.

Finalmente voltamos pra casa extremamente cansadas e fomos preparar nosso jantar. Preparamos pizzas, carne e salada, infelizmente esquecemos de comprar sal, então todos os dias comemos ‘salada sem sal’. hehe

nosso jantarzinho com direito a mesa arrumada e tudo! =)

E resumidamente esse foi o nosso dia por aqui! São 11h30pm aqui e estou exausta, então até amanha!

Beijos,
Anna Beatriz