Arquivo da tag: intercâmbio

Palavras de quem mora longe…

Padrão

“Viajar é sempre bom! E agora?”
“Já sei! Vou me mudar do Brasil!”

Hoje quem escreve é o Lucas.
Pra quem não sabe, nos conhecemos de uma forma bem inusitada, bem sem querer. Depois de um show onde cobri um evento e Lucas estava ajudando os artistas com tradução (alô alô, goiás), nunca mais nos desgrudamos. rss Nos esbarramos num sofá, pegamos carona juntos e, de quebra, dividimos esfirra do Habbib’s a caminho de uma tarde de autógrafo. Foi mais ou menos assim que nossa linda relação começou. rs

Lucas loveeeeUma brasiliense que esbarrou num cidadão do mundo ♥

Além disso, foi esse loiro dos olhos azuis que deu o nome incrível e criativo desse blog. Como ele disse hoje cedo “Anna, be a trip!” rsss

Bom, vamos lá! Lucas mora há algum tempo num país frio que dói, e manda umas ricas palavras pra quem pensa em se aventurar…

“Como Anna faz parte dessa historia, por que não escrever para o blog como foi minha experiência ao me mudar e como está sendo a minha “adaptação” a um país tão diferente do nosso?

Para muitos pode ser um sonho que se realiza por poder estudar, trabalhar, enfim. Eu tinha esse sonho desde pequeno, e em 2011 chegou a hora. Fui chamado para estudar na Finlândia.

Lucas 1

Hoje em dia se tornou mais “fácil” poder estudar no exterior, tendo paciência (muita paciência) para passar por toda a burocracia e tantos papeis até conseguir o tal do visto! Realizei todas as provas de ingresso à faculdade no Brasil, inclusive, a Anna me levou para uma das provas na Embaixada da Finlândia, em Brasília.

Tudo começou com uma empolgação muito grande, mas no fundo sempre soube que passaria por momentos difíceis enquanto estivesse aqui. Pensando naqueles que sonham em estudar ou morar fora, vão algumas dicas de quem vive esse momento:

  1. Tente se informar sobre todos os pré-requisitos de imigração – para muitos países são necessários muitos papeis e meses de burocracia.
  2. Gaste tempo estudando sobre o país – entenda um pouco da cultura, história, culinária, língua e CLIMA! Sim, pesquisar sobre o clima em todas as estações é muito importante.
  3. Aprenda a língua o mais rápido possível – é muito importante estar num país onde você tenha um conhecimento básico do idioma falado, não faca como eu, estou sendo alfabetizado aqui na Finlândia! Uma maneira bacana de fazê-lo é conviver com locais, perguntar, ser chato. Assim aprenderá a língua mais fácil.

Para mim, o que ainda tem sido mais difícil suportar, é a saudade do Brasil. Por muitas vezes, a falta da família e amigos ao lado aperta também, e esse fator pode te distrair um pouco. Por isso a importância de conhecer novas pessoas e expandir seu circulo de amizade. Ah, e sabe aquele frango com quiabo que você odeia? Então, morando fora, você sente até saudade dele! rsrs

Ah, com relação à saudade, a tecnologia é a minha melhor amiga! Um obrigado a Estônia por ter criado o Skype! :D

Bom, o intercâmbio de culturas é algo que você vai levar para a vida toda e, com certeza, será um tempo inesquecível. E é legal, porque pelo caminho você acaba encontrando pessoas que estão passando por uma situação igual a sua. Sem dúvidas, é um grande desafio, mas com recompensas incríveis.

Lucas 2

Resolvi fazer uma pesquisa entre meus amigos, que também estão morando e estudando aqui comigo (na Finlândia), e perguntei como é morar aqui:

Marta (Espanha) – Posso fazer coisas aqui, que jamais conseguiria fazer em meu país, não me arrependo. Um país muito pacífico.
Andreas (Chipre) – É um desafio por causa das condições climáticas.
Beto (Mexico) – Por muitas vezes difícil, mas prazeroso.
Diego (Bolivia) – Pacifico e entendiante.
Delia (Romênia) – Terrível!Experiências, diversão, tristezas, decepções, alegrias, entre muitas outras coisas, fazem dessa minha jornada, algo único e inesquecível. Aconselho a todos que tiverem a mesma oportunidade que tive, go for it! Não irá se arrepender!”

Anúncios

AnnaBeatrip no papel! rs

Padrão

Só vim mostrar pra vocês a página que eu produzi para um jornalzinho da universidade. Como a minha editoria foi a de Turismo, não poderia perder a chance de colocar o AnnaBeatrip no foco. rs

O conteúdo sobre intercâmbio já apareceu aqui no blog, mas acrescentei algumas  dicas e informações =)

Para ver em uma resolução melhor, clique aqui.

Intercâmbio em Londres: eu fui!

Padrão

De vez em quando recebo pedido de dicas sobre intercâmbio na Inglaterra, e como eu nunca fui pra lá, pedi ao Thales pra falar um pouquinho da experiência e ele prontamente aceitou.

O relato dele é tão bacana e rico em detalhes, que separei em dois posts: intercâmbio + dicas da cidade de Londes (próximo).

Curiosidade: a gente se conheceu porque eu estava me programando para fazer o mesmo programa que o Thales, então iríamos na mesma época pra mesma cidade. No fim das contas, ele foi pra Londres e eu pra Califórnia. hehe

“Olá, meu nome é Thales, tenho 22 anos e moro em Macaé/RJ e estou aqui para contar como foi a minha viagem para Londres, Inglaterra.

Eu fiz um curso de intercambio de duração de 1 mês em Londres, Inglaterra. Fiz a viagem por uma empresa chamada EF – Education First, que tem escritórios em várias cidades do país e tem escolas em vários países diferentes.

Escolhi viajar fazendo um curso de intercâmbio porque é a maneira mais natural de conhecer gente nova e conhecer culturas diferentes, além daquela do país que você for. Ainda mais se você resolver viajar sozinho, como foi o meu caso.

Quando fechei a minha viagem tive que optar por morar em casa de família ou em residência estudantil, o que a gente conhece como república. Optei pela residência estudantil, pela minha personalidade e porque não gostava da ideia de ir para um país diferente e ter que ficar dando satisfação para uma pessoa, quando o que queria era curtir Londres e os amigos que iria fazer. É importante levar em consideração que em alguns casos, a família que recebe o aluno estipula hora para chegar em casa e tarefas que a pessoa tem que fazer, como fazer o jantar, lavar louça, ajudar na arrumação e até cuidar de alguma criança, por exemplo. Levando isso em consideração, optei por morar em residência estudantil, que é um ambiente mais descontraído e independente. No meu caso, fiquei em um apartamento grande na Zona 1 de Londres, perto de tudo, dividindo o apartamento com mais 4 pessoas e foi muito bom.

Antes de ir para Londres estava pensando em ir para Sidney, Austrália, mas não me arrependo nem um pouco de ir para Inglaterra.”

Obrigada, Thales!
Muita gente vai ficar mais empolgada ainda com essa possibilidade.

No próximo post vou trazer as dicas super úteis que ele mandou pra gente.

Beijos!

Passo a passo: passaporte

Padrão

Quando a gente começa a pensar em viagem internacional, algumas dúvidas aparecem e muitas vezes nos fazem até desistir. A parte mais chata é a burocracia, é verdade. Mas não é um bicho de sete cabeças, acredite!

O primeiro passo é tirar o passaporte e é sobre ele que vou falar hoje. Eu sempre digo aos meus amigos: tirem seus passaportes, mesmo que não tenha viagem marcada! Vai que aparece uma oportunidade ímpar e você não tem esse documento? Fora que ele substitui documentos oficiais na hora da identificação, como carteira de motorista ou identidade.

Em qualquer estado o procedimento é o mesmo. A emissão do passaporte é feita pela Polícia Federal e o agendamento e todas as informações se encontram no site deles.

I) O primeiro passo é providenciar a documentação necessária:

1.0   – Documento de Identidade, para maiores de 12 anos
2.0   – Título de Eleitor e comprovantes de que votou na última eleição (dos dois turnos, se houve). Na falta dos comprovantes, declaração da Justiça Eleitoral de que está quite com as obrigações eleitorais, ou justificativa eleitoral.
3.0   – Documento que comprove quitação com o serviço militar obrigatório, para os requerentes do sexo masculino a partir de 01 de janeiro do ano em que completam 19 anos até 31 de dezembro do ano em que completam 45 anos.
4.0   – Certificado de Naturalização, para os Naturalizados.
5.0    – Comprovante bancário de pagamento da Guia de Recolhimento da União – GRU referente à taxa devida para a emissão do documento de viagem requerido
6.0    – Passaporte comum ou de emergência anterior, quando houver (válido ou não). A não apresentação deste, por qualquer motivo, implica em pagamento da taxa em dobro.

II) Depois de conferir a documentação, faça o requerimento do passaporte, que começa com o preenchimento de um formulário. Clique aqui pra ver. Assim que você concluir, vai ser gerada a Guia de Recolhimento da União – GRU no valor de R$ 156,07.

III) “Paguei. E agora?” Bom, agora você precisa agendar sua visita a um posto da Polícia Federal. Em alguns casos não é preciso agendar, então é melhor verificar aqui. obs: lembrando que só é possível agendar após o pagamento!

IV) Compareça ao posto na data e horário agendados com a documentação original. Não é mais necessário levar fotografia, eles tiram na hora. Aproveite e capriche no look. rs

V) Deu tudo certo e eles só pediram pra você aguardar? Ótimo! Você ainda pode monitorar o andamento do pedido por aqui.

VI) O passaporte será entregue pessoalmente a seu titular, mediante apresentação de documento de identidade e assinatura de recibo.

Pronto! Com seu passaporte em mãos você pode, com mais segurança, começar a planejar sua viagem internacional!
Espero que esse passo a passo ajude quem ainda não realizou o sonho de cruzar as fronteiras do país.

“Peraí, Bia! E os vistos?!”
Volto outra hora pra falar deles também. =)

=) Praticando o desapego =(

Padrão

Lembro como se fosse ontem da primeira viagem sozinha, aos 15 anos, sem meus pais, sem um amigo sequer! Acontece que a banda que eu mais gostava ia fazer um show em São Paulo e não encontrei ninguém que topasse ir comigo. Foi então que descobri uma caravana saindo de Goiânia e não deu outra: lá fui eu naquele ônibus cheio de desconhecidos. Eu só sabia os nomes dos responsáveis pela caravana, ou seja, dois dos trinta passageiros. hehe Minha maior surpresa foi ter conhecido pessoas tão legais e  ter vivido momentos tão bons em tão pouco tempo, afinal, a viagem (ida+show+volta) não durou 72h. Depois disso nunca mais parei de perambular..rss

O pior (ou o melhor) é que desde essa data vivo com o coração na mão e tentando descobrir uma forma de sentir menos saudade de tudo e de todos. Não é fácil, viu? Em todas as minhas viagens deixo um pedacinho de mim.
ps: Curitiba é meu trauma ‘bom’ mais recente..hehe

 E é assim com a maioria, não? Viagem de férias ou até aquela inesperada, de última hora, é um perigo! Quase todo mundo acaba se apaixonando... Seja por um alguem ou por todos os alguéns, seja pela cidade, pelo hotel, pelo clima ou até pelo café da manhã (diz aí Naty! rss). É inevitável não se prender ao desconhecido, não depositar boas expectativas e achar que aquele lugar e aquelas pessoas são as melhores do mundo! Carrego no meu coração cada lembrança boa com muito amor e em alguns casos (muitos!) mantenho fortes laços e acabo reencontrando essas pessoas queridas por aí…

Viajar, se desafiar a viver novas experiências, implica em saber lidar com as emoções também.
Eu tenho aprendido a ser tolerante, mais compreensiva, a ceder e a não ser enganada pelas aparências. Estar aberto a novas possibilidades e disposto a quebrar alguns tabus é essencial pra quem decide levar a vida assim. Nada tem a ver com quebra de princípios e valores, mas com o simples fato de dar oportunidade ao ser humano.

Praticar o desapego é entender que a vida passa. É duro pensar assim, mas é desse jeito. A vida passa, os momentos e pessoas passam. É preciso entender esse ciclo e aproveitar. Chorar faz bem (eu seeempre choro), mas o choro não deve durar uma eternidade, nem te trazer o constante sentimento de querer voltar no tempo, mas de prosseguir e poder viver de novo.
Praticar o desapego não é ‘praticar a frieza’, mas aprender a tirar o melhor de cada situação e de cada pessoa, pra que no futuro você se lembre com um sentimento bom. 

Vocês também entendem dessa forma? Passam por isso? Impossível não crescer e aprender não é?

Beijo muito especial pra todos aqueles que conheci fora da minha zona de conforto.
Vocês tem feito minha vida valer mais a pena!

Intercâmbio: o que, como e onde?

Padrão

A palavra ‘intercâmbio’ caiu nas graças do povo nas últimas décadas e todo mundo quer saber o que é e como funciona. Por este motivo, hoje resolvi falar um pouquinho sobre ele.

O que é?

Intercâmbio, pra quem não sabe, é que a troca de conhecimento entre viajantes e estudantes de culturas diferentes. Basicamente isso. Acontece que existem varias modalidades, que permitem que pessoas de varias idades e condições diferentes possam ter essa experiência.

Quais são os tipos de intercâmbio?

As formas de intercâmbio mais conhecidas são para fazer curso de idioma, high school ou AuPair. Essas três são facilmente encontradas no mercado, mas as agencias especializadas podem te oferecer opções diferentes como Work&Study, Volunteer ou até pra passar uma temporada em cruzeiros e navios.

Ia detalhar um por um pra vocês, mas encontrei um link onde eles explicam direitinho todos os tipos de intercambio. Como eu defendo que na internet a gente soma, pra que repetir todo o conteúdo, não é? Então clique aqui e confira a lista completa dos tipos de intercâmbio.

Lembrando que pra cada tipo de intercâmbio existe um perfil de pessoa. Por exemplo, se você é estudante e  só quer aproveitar o mês de férias, aproveite pra fazer um curso de idioma de 4 semanas (tenho certeza que seus pais vão até curtir mais a ideia!). Agora, se você está de bobeira, terminou o ensino médio/faculdade e quer ter uma experiência no exterior e ainda ganhar com isso, se aventure a ir trabalhar por um período. Mesmo que você não ganhe tão bem, é muito válido!

Por onde eu começo?

O primeiro passo é ficar antenado. Pesquise bastante, converse com pessoas que já fizeram intercâmbio, entre em contato com as empresas, se aconselhe antes de qualquer decisão. Descubra sobre a cultura, clima e costumes do país-destino, mas não se feche para sugestões, existem muitos lugares bacanas que fogem do comum. ;)

p.s.: fiz um breve passo-a-passo de como programar uma viagem há um tempo atrás, passa lá, pode ajudar também!

Separei algumas empresas e agências que, com certeza, vão ajudá-los muito.

CI: http://www.ci.com.br/

EXPERIMENTO – INTERCAMBIO CULTURAL: http://www.experimento.org.br/

EF: http://www.ef.com.br/intercambio/

STB: http://www.stb.com.br/

BRAZILIAN EXCHANGE: http://www.bexintercambio.com.br/

IE: http://novo.ieintercambio.com.br/

INTERCAMBIO – AUSTRALIA: http://www.australiancentre.com.br/site/australia/default.asp

NOVA ZELANDIA: www.newzealandstudy.com.br/

BRITISH COUNCIL – INGLATERRA: http://www.britishcouncil.org/br/brasil.htm

Outra dica bem legal é acompanhar os blogs dos intercambistas, porque assim você consegue ter mais noção sobre a rotina, condições, lugares, preços, enfim. Recomendo dois portais, o Intercâmbio de A a Z e o Blog do Embaixador STB. Update¹: Quero indicar também o blog do leitor Caio Sena, que está fazendo intercâmbio na Alemanha. Super legal!

Pedi pelo facebook (aê Mark Z.! rss) que a galera que já fez intercâmbio me mandasse suas fotos. Voilá!

Rafael Assis – EUARayssa Oliveira – EUANathália Lima – AustráliaNathália Lima – Alemanha

ATENÇÃO!

Nós recebemos vários e-mails de empresas de turismo e em um deles recebemos a divulgação da Feira de Intercâmbio, que acontece em várias cidades do Brasil no mês de setembro. A participação é gratuita, mas é necessário fazer inscrição aqui. É uma excelente oportunidade pra você tirar suas dúvidas e começar a programar a sua ida!

Update²: Recebi pelo twitter a dica de uma outra feira de intercâmbio que está quase para acontecer. Essa é dedicada aos interessados em passar um tempo nos Estados Unidos. Pra se inscrever, basta clicar na imagem. Muito obrigada, Fabrício!

É isso, galera! Espero que esse post ajude aqueles que tem pensado nessa ideia…
Se ficou alguma dúvida específica, diz aí que a gente se esforça pra responder! ;)

Quem já fez intercâmbio? Como foi a experiência?

Beijocas!