Arquivo da tag: divagando

Viver fora, saúde e frio

Padrão

Primeiramente, gostaria de saber o que seria novidade contar pra vocês. Falo isto porque sei que existem milhares de posts iguais, com dicas iguais e opiniões sobre os mesmos lugares. Isso não é ruim, afinal, cada blog/site tem um público e cada leitor mais afinidade com tal estilo. De qualquer forma, prefiro falar sobre as maiores dúvidas e curiosidades.
Se houver algo que eu possa contar, ou até correr atrás pra descobrir, é só pedir :)

Bom, resolvi fazer um post randômico e falar um pouco sobre algumas coisas daqui…

Viver em outro país

Quanto mais você viaja, mais percebe que os problemas são os mesmos, as manias são parecidas, a rotina também existe, tem gente do bem e do mal. Diferente do que pensam por aí, morar no velho mundo não é mais extraordinário do que no Brasil. Existem vantagens e desvantagens, como em todos os casos. Eu adoro a organização da cidade e como o transporte público funciona maravilhosamente bem aqui. Por outro lado, detesto o mau humor e frieza da maioria das pessoas. Nada se compara ao tratamento caloroso dos brasileiros. É fantástico viver as quatro estações bem definidas aqui, mas confesso ter saudade da instabilidade de Brasília, por exemplo. Lá você pode tirar e colocar o casaco a hora que o tempo mudar, aqui não. Se estiver de saco cheio do frio, paciência, aguente os meses do inverno calado. Sou fascinada pela arquitetura daqui, pelas construções antigas e como elas se misturam em meio a tanta modernidade. Da mesma forma que adoro aquele amontoado de prédios em São Paulo e os morros de Minas Gerais. Tudo depende do que você está disposto a viver.

Farmácias-consultórios

Outro dia, uma amiga brasileira que mora há anos aqui, me disse algo interessante: do que adianta ter aparelhos modernos se o sistema operacional é antigo? No Brasil, costumamos comparar o sistema de saúde e dizer que aqui na Europa tudo é melhor. A questão é que em termos de tecnologia, eles estão mesmo avançados, mas a logística é retrógrada em muitos casos. No Brasil, se você precisa de um dermatologista, liga em um consultório da especialidade e marca. Aqui não. Você vai ao hospital, passa pelo clínico geral (chamado doutor de família, pois atende todos) e ele vai te medicar. Se não resolver, você retorna e tenta nova análise, outra medicação, depende. Se no terceiro retorno não tiver resolvido, aí sim ele vai te indicar um médico com a especialidade necessária. Parece confuso? Pois é. Não posso afirmar por experiência própria, mas todas as famílias amigas daqui contam a mesma história. Fora que é tão caro como o serviço privado no Brasil. As consultas variam de €40 a €100, se não me engano.

Ui, enfim, tudo isso pra dizer que uma ótima opção é ser orientado nas farmácias. Isso mesmo, antes de passar por um hospital. Os farmacêuticos daqui são meio médicos (vou me informar melhor, mas parece que a formação acadêmica deles é mais completa e permite isso). Seja por uma alergia, febre alta ou fortes cólicas, passe em uma farmácia, receba um orientação express sem custo e pronto. Ou eles vão confirmar que o caso é grave e te encaminhar pro médico, ou ele vai ser capaz de te medicar corretamente. Foi uma recomendação dos locais e deu super certo.

*é claro que se o caso for obviamente grave, você deve correr para a emergência mais próxima.

Como aguentar o frio?

Não sei. haha E olha que Portugal é um dos menos frios da Europa. Tem alguns truques super usados, mas não tem jeito. Nariz, mãos e pés sempre revelam a temperatura. O mais recomendado é se proteger ao máximo,  mas não necessariamente com 40 casacos. O ideal é usar sempre uma básica (como eles chamam as malhas de manga e ‘aveludadas’ por dentro), suéter e um bom casaco acolchoado. Além disso, meia calça por baixo da calça em dias muito frios e luvas. Mas se tem um item indispensável é o cachecol/lenço. Compre um quentinho e não saia sem ele, protege mesmo. Passe protetor labial sempre também. Sei lá, não tem muitas dicas. Descubra seu jeito mais confortável de enfrentar o frio.

—————–

Umas fotos pra colorir o post!

IMG-20141227-WA0141IMG-20141227-WA0167IMG-20141227-WA0188IMG-20141226-WA0127 IMG-20141225-WA0079 IMG-20141225-WA0090IMG-20141227-WA0197

Fotos: AnnaBeatrip – sem filtro, tiradas pelo celular Galaxy Grand Duos

Palavras de quem mora longe…

Padrão

“Viajar é sempre bom! E agora?”
“Já sei! Vou me mudar do Brasil!”

Hoje quem escreve é o Lucas.
Pra quem não sabe, nos conhecemos de uma forma bem inusitada, bem sem querer. Depois de um show onde cobri um evento e Lucas estava ajudando os artistas com tradução (alô alô, goiás), nunca mais nos desgrudamos. rss Nos esbarramos num sofá, pegamos carona juntos e, de quebra, dividimos esfirra do Habbib’s a caminho de uma tarde de autógrafo. Foi mais ou menos assim que nossa linda relação começou. rs

Lucas loveeeeUma brasiliense que esbarrou num cidadão do mundo ♥

Além disso, foi esse loiro dos olhos azuis que deu o nome incrível e criativo desse blog. Como ele disse hoje cedo “Anna, be a trip!” rsss

Bom, vamos lá! Lucas mora há algum tempo num país frio que dói, e manda umas ricas palavras pra quem pensa em se aventurar…

“Como Anna faz parte dessa historia, por que não escrever para o blog como foi minha experiência ao me mudar e como está sendo a minha “adaptação” a um país tão diferente do nosso?

Para muitos pode ser um sonho que se realiza por poder estudar, trabalhar, enfim. Eu tinha esse sonho desde pequeno, e em 2011 chegou a hora. Fui chamado para estudar na Finlândia.

Lucas 1

Hoje em dia se tornou mais “fácil” poder estudar no exterior, tendo paciência (muita paciência) para passar por toda a burocracia e tantos papeis até conseguir o tal do visto! Realizei todas as provas de ingresso à faculdade no Brasil, inclusive, a Anna me levou para uma das provas na Embaixada da Finlândia, em Brasília.

Tudo começou com uma empolgação muito grande, mas no fundo sempre soube que passaria por momentos difíceis enquanto estivesse aqui. Pensando naqueles que sonham em estudar ou morar fora, vão algumas dicas de quem vive esse momento:

  1. Tente se informar sobre todos os pré-requisitos de imigração – para muitos países são necessários muitos papeis e meses de burocracia.
  2. Gaste tempo estudando sobre o país – entenda um pouco da cultura, história, culinária, língua e CLIMA! Sim, pesquisar sobre o clima em todas as estações é muito importante.
  3. Aprenda a língua o mais rápido possível – é muito importante estar num país onde você tenha um conhecimento básico do idioma falado, não faca como eu, estou sendo alfabetizado aqui na Finlândia! Uma maneira bacana de fazê-lo é conviver com locais, perguntar, ser chato. Assim aprenderá a língua mais fácil.

Para mim, o que ainda tem sido mais difícil suportar, é a saudade do Brasil. Por muitas vezes, a falta da família e amigos ao lado aperta também, e esse fator pode te distrair um pouco. Por isso a importância de conhecer novas pessoas e expandir seu circulo de amizade. Ah, e sabe aquele frango com quiabo que você odeia? Então, morando fora, você sente até saudade dele! rsrs

Ah, com relação à saudade, a tecnologia é a minha melhor amiga! Um obrigado a Estônia por ter criado o Skype! :D

Bom, o intercâmbio de culturas é algo que você vai levar para a vida toda e, com certeza, será um tempo inesquecível. E é legal, porque pelo caminho você acaba encontrando pessoas que estão passando por uma situação igual a sua. Sem dúvidas, é um grande desafio, mas com recompensas incríveis.

Lucas 2

Resolvi fazer uma pesquisa entre meus amigos, que também estão morando e estudando aqui comigo (na Finlândia), e perguntei como é morar aqui:

Marta (Espanha) – Posso fazer coisas aqui, que jamais conseguiria fazer em meu país, não me arrependo. Um país muito pacífico.
Andreas (Chipre) – É um desafio por causa das condições climáticas.
Beto (Mexico) – Por muitas vezes difícil, mas prazeroso.
Diego (Bolivia) – Pacifico e entendiante.
Delia (Romênia) – Terrível!Experiências, diversão, tristezas, decepções, alegrias, entre muitas outras coisas, fazem dessa minha jornada, algo único e inesquecível. Aconselho a todos que tiverem a mesma oportunidade que tive, go for it! Não irá se arrepender!”

Nunca viajei sozinho. E agora?

Padrão

Alô, alô, marciano! Como foi a recepção de 2013 por aí?
Por aqui foi tudo jóia! Aqui em casa, recebemos o ano com esperança e fé! E vocês, por onde andam?
Tem amigo em Curitiba/PR (muitos, por sinal!), no Rio de Janeiro/RJ, em Vitória/ES, no Uruguai, em Belo Horizonte/MG, em Sorocaba/SP, em Paracatu/GO, em Punta del Este, etc! Ufa, vocês foram pra tantos lugares que nem me lembro mais. De qualquer forma, espero que para todos tenha sido bom e alegre! Se servir de conselho, leia meu último post e tente se inspirar!

Bom, hoje vim falar sobre uma ‘aflição’ que viajante de primeira viagem sempre tem. Geralmente, ela bate nos menores de idade ou até nos de maior que nunca o fizeram.

“Bia, vou viajar sozinho/com amigos, mas nunca viajei sem meus pais. Como é?!”

Primeiramente, você precisa avaliar que tipo de viagem você vai fazer. É um intercâmbio? Final de semana com os amigos? Carnaval? Férias na praia? Eu diria que nenhuma delas é um bicho de sete cabeças, pelo contrário. Não tem erro viajar sozinho e uma hora isso vai ter que acontecer, certo?

Pra facilitar, preparei uma check list importante pra quem vai viajar sem os pais pela primeira vez.

Leia o resto deste post

2012, obrigada…

Padrão

???????????????????????????????“Eu vejo que você se ama tanto…”, disse Sarinha, uma amiga muito querida que fiz em uma das minhas idas a Curitiba. Ela não imagina o quanto essa frase, dita ontem, me fez refletir. Realmente, isso é verdade. Mas uma verdade recente.

Sem dúvidas, esse foi um ano muito significativo pra mim. Arriscaria até dizer que 2012 foi um divisor de águas. Mais do que lugares novos, desbravei meu mundo.

???????????????????????????????

Não tem nada melhor do sentir-se bem. Aliás, do que decidir se sentir bem. Nada melhor do que se desfazer de preconceitos, quebrar tabus, se descobrir e entender que o hoje nunca aconteceu e jamais acontecerá de novo. Viajar é uma das grandes formas de abrir os olhos. Fazer as malas e sair por aí, entrar em contato com outras culturas e costumes; com gente da pele branca, do olho puxado, do cabelo enrolado. Se você não fez isso esse ano, 2013 tá aí.

09-01 (28) - Cópia

Sou grata a Deus pela oportunidade de existir e ter a possibilidade de respirar o ar desse planeta água. Grata aos meus pais pela confiança, incentivo e amor. Casa sem firmamento cai. Obrigada aos meus amigos pela manifestação de cuidado e carinho, pelas horas e sorrisos. Aos leitores e pessoas que acreditam em mim: obrigada! Agradeço a todos que, de alguma forma, passaram por mim neste ano. Agradeço pelo abraço e pelo descaso.

???????????????????????????????

Não quero dizer em palavras utópicas que 2013 será diferente, mas quero incentivá-lo a tornar o próximo ano gostoso de viver. Que, definitivamente, você se convença de que não nasceu a passeio.

Beijo grande e até daqui a pouco! rs

Viagem sem trilha sonora não rola!

Padrão

Se você anda desatualizado, não se preocupe! Nós preparamos uma playlist para cada perfil.

Veja o que mais combina com você e mande pro iPod!

folksbrasileirandosertanejo2eletronicass

É, eu sei que algumas músicas já estão meio velhinhas, mas achamos legal colocá-las mesmo assim. rs

ps: cada imagem com tamanho de fonte diferente. hahaha blogueira nota 10!
ps²: Jorge Ben*

A música nunca revela o seu último segredo…

Padrão

Bom, como eu disse ontem, estou embarcando daqui a pouco para Campinas/SP, e de lá sigo viagem até Botucatu. O motivo da viagem é super gostoso: formatura de um amigo querido e reencontro com alguns amigos que fizemos na Califórnia.

A viagem não é turística e vai ser bem rápida, então, provavelmente, não vou conseguir explorar muito as cidades. De qualquer forma, espero trazer algum conteúdo legal ou pelo menos  umas boas fotos.

Mas na verdade não vim aqui falar do meu embarque..rs

Vim compartilhar com vocês as palavras lindas da minha amiga fofis de trabalho, Rany. Ela fez uma trilha sonora especialmente pra essa minha viagem e me deixou até emocionada com o textinho. rss

Olha que coisa mais sincera e querida. Que sirva de inspiração pra todos vocês..

C

“Sou muito empolgada. Literatura e música sempre me atraíram mais que as outras vertentes culturais e, justamente por isso, me comprometi a entregar um CD repleto de músicas para animar o trajeto entre Campinas e Botucatu.

Bem, para montar uma playlist não tem muito segredo. Música pra viajar pode falar sobre felicidade, amizade, aventura, amor… menos tristeza. E, se falar em tristeza, que seja em outra língua, que aí a gente não entende muita coisa, pisa na marcha e segue adiante. É essencial que, ao apertar o play, a gente esteja ciente de que aquela canção pode ser lembrada, para sempre, como trilha sonora de dias inesquecíveis. Como disse anteriormente, eu adoro música. E gosto de escutá-las, especialmente, quando estou viajando. De ônibus, de avião e claro, de carro. Desde aborrecente, nutro esse hábito. Recentemente, ia para Goiânia de 15 em 15 dias e os momentos escolhendo canções, imersa nas pastas repletas de gêneros, ritmos e letras se tornaram ainda mais frequentes. Mas é tão bom misturar a ansiedade, a expectativa e a animação de um novo lugar aos sons que a gente gosta, né? Acompanhar o pôr-do-sol ouvindo Eddie Vedder, recordando a trilha de Into The Wild, por exemplo, não tem preço. Mas, não é só o rockeiro que irá embalar sua viagem. Fiz questão de mesclar os sotaques americanos com o melhor do ritmo tupiniquim. Ou seja, aém de The Beatles, Beach Boys, Artic Monkeys, Cake, Strokes e Oasis tem muito Lulu Santos, Skank, Seu Jorge, Cazuza, Tom Zé, Tribalistas e, pasme: Angélica. Sim, porque Vou de Táxi é um hit atemporal que merece muito respeito.

Mas, voltando a frase inicial: eu sou muito empolgada. Assim que comecei a fazer pensei: ela viajará de Campinas pra Botucatu. Vai passar por Indaiatuba, Salto, Itu, Boituva, Cesário Lange e por fim, Itatinga – se estiver com um grupo maneiro de amigos, aconselho a parar em alguns lugares, conhecer restaurantes, lojas de suvenirs. Ao total são 211 Km que podem ser convertidos em 2h e 30 minutos. Cerca de 50 músicas seriam mais que o bastante. No fim das contas, gravei 105 músicas. Espero, de coração, que meu exagero seja suficiente para que você se divirta indo e voltando dessa aventura.

Boa viagem! Com carinho,
Rany”

Itens necessários na hora de viajar

Padrão

E aê? Já estão se preparando para as viagens de fim de ano?
Sei que nessa época todo mundo faz as malas e foge para algum lugar, mesmo que esse lugar seja a casa da avó. Não é mesmo? E todos nós estamos contando os dias para dar uma pausa no trabalho e curtir os dias de folga.

Amanhã (sexta-feira) embarco pra Botucatu/SP com a Naty (California girl rss) e, aproveitando a época e a situação, resolvi fazer uma lista dos objetos essenciais na hora de viajar. Eu sei, eu sei. Vocês já sabem que esses itens são necessários, mas não custa dar uma dica pra galera que quer aproveitar o fim do ano pra se organizar melhor né?

I. Mala média/grande: Esse tipo de bagagem é essencial ter. O bacana é comprar os modelos com rodinha, porque ninguém merece carregar tanto peso. Nessas cabem tudo e são ideais pra viagens de, ao menos, uma semana.

II. Mala de mão: Se sua viagem é curta, o ideal é que você leve só uma mala de mão. Você não precisa, necessariamente, despachar na hora do embarque e de quebra evita o excesso de bagagem. Ter que desfazer aquela super mala pra passar um final de semana não é nada prático! Na minha última ida a Curitiba passei 5 dias com uma única mala de mão. É possível, meninas! rs

mala de mao

III. Mochila: Agora, se sua trip tem um caráter aventureiro, se você vai bater perna e explorar bastante o destino, sugiro que garanta uma mochila. É legal ter uma dessas, porque você, que vai sair cedo do hotel/hostel e ficar fora o dia todo vai precisar de alguns itens de ‘sobrevivência’. Garrafa de água, lanchinho, carteira, câmera, casaco, celular, ipod, etc. Vamos combinar que isso tudo não cabe numa pochete nem numa bolsinha, né? Fora que você ainda fica com aquele ar de ‘viajante’! rs

mochilas

IV. Necessaires: Esse item aqui é indispensável e nem preciso falar muito. Todo mundo tem alguma em casa. Minha sugestão é que você tenha pelo menos duas, uma de tecido (maquiagens, etc) e uma de plástico (shampoo, cremes, etc). Dica: lojas de departamento costumam vender kits bem bacanas a preços justos.

necessaire

V. Saquinhos: Esses daqui são muito úteis na hora de arrumar os calçados, ajudam a organizar e mantém as roupas limpinhas. Na correria de fazer as malas, a maioria acaba utilizando sacos plásticos de mercado mesmo. E não tem mal nenhum nisso, não é pobreza nem nada disso, mas a gente tem outras opções também. Eu, por exemplo, me tornei super adepta dos saquinhos de pano, aqueles que a gente ganha quando compra sapato. Inclusive, vou fazer um DO IT YOURSELF (faça você mesmo) pra ensinar vocês a confeccionarem seus saquinhos de tecido.

saquinhos

VI. Porta documentos: Guardar os documentos pode ser dramático para algumas pessoas. Eu mesma já passei uns perrengues por não saber onde tinha guardado o voucher da passagem. Já pensou? Esse item não é muito comum e a gente acaba usando qualquer coisa bolsinha ou a própria carteira pra guardar os documentos como passaporte  e reserva de hotel. Mas o ideal é que você tenha um porta-documentos, assim você deixa tudo à mão e facilita a vida burocrática. Eles são facilmente encontrados em sites de compra online ou até em lojas de departamentos.

UPDATE: Minha amiga Lorena deixou nos comentários uma dica legal. A Loja Imaginarium tem alguns modelos bem lindos a preços justos. Fica a dica hein!

porta documento

Espero que isso ajude os mais bagunceiros como eu.
Se você lembrou de algum outro item bacana, fale pra gente!

Nessa semana ainda teremos coisas bacanas por aqui. Stay tuned!