Arquivo da categoria: Veja bem ❞

Viagem ecológica: sim ou não?

Padrão

Há uns dois anos, em Curitiba, entrei numa feirinha da PUC e logo bati o olho no Guia Viagens Ecológicas, da PubliFolha.

Livros

É um dos meus favoritos no quesito guia, porque te fornece todas as informações de forma bem objetiva. Ele reúne uma seleção de cem hotéis, pousadas, tendas, cabanas e bangalôs ecológicos. É cada lugar mais lindo que fica difícil acreditar que eles existam. rs

Ele ainda revela o nível de impacto de cada uma das hospedagens, os programas ecológicos que elas oferecem, os tipos de acomodação,a  melhor época, como planejar a viagem e valores dos pacotes. É realmente muito bom! Mas não vim falar do livro especificamente, mas de uma reflexão/afirmativa que há em um de seus textos (págs. 70-1 e reproduzido aqui embaixo na íntegra).

VIAJAR OU NÃO VIAJAR?

Muitos turistas se perguntam, ao chegar à América Central ou do Sul, se deveriam ter pegado o avião. Um voo de ida e volta de Londres para a Costa Rica, por exemplo, gera 2,5 toneladas de CO² por passageiro; o voo de Sydney atinge imensas 4,32 toneladas. Mesmo um voo de Nova York gera 0,78 toneladas. Para se ter a dimensão do problema, cientistas afirmam que devemos reduzir nossa pegada de carbono para 3 ou 4 toneladas ao ano (incluindo as atividades da vida doméstica e outras emissões pessoais) para evitar uma mudança climática perigosa. Se considerarmos esse fato, descobriremos com facilidade que as viagens ecológicas não são tão ecológicas assim. Por outro lado, o fim do turismo seria um desastre para o meio ambiente nas Américas do Sul e Central e, ironicamente, para as emissões globais de carbono.

A Costa Rica tem reputação por sua biodiversidade: aqui se concentram 5% das espécies de todo o mundo – em 0,1% de sua massa terrestre. A menos de uma geração, reinavam a caça e o desmatamento. Mas o turismo científico resultou na criação dos primeiros parques nacionais, e depois o ecoturismo fez com que mais de um quarto do país fosse transformado em reservas. Hoje a Costa Rica é a única nação do mundo em que o reflorestamento supera o desmatamento.

O modelo costa-riquenho está se espalhando pelo mundo. A pressão de cientistas e ecoturistas levou à criação de várias reservas estatais e privadas nos continentes, como os parques nacionais del Manú, no Peru, e Noel Kempff Mercado, na Bolívia, a Reserva de Desenvolvimento Sustentável de Mamirauá, no Brasil, e a Reserva Florestal de Iwokrama, na Guiana. E ainda gerou uma fonte de renda para populações locais que, do contrário, cortariam árvores para criar sítios de desmatamento e caçariam animais. Até na Costa Rica quase todos os guias são ex-caçadores que se tornaram guardas florestais.

Numa visita às Américas do Sul e Central, além da escolha de empreendimentos ecológicos, há outras medidas que podem otimizar o benefício à população local, à floresta e, por consequência, ao planeta. Prefira projetos que não sobreviveriam sem o turismo e preservam áreas em que o desmatamento representaria um grande risco – caso de Cristalino, no Brasil (ver págs. 84-5), ou Sarapiquí, na Costa Rica (ver págs. 76-7). recorrer a guias locais, comer em restaurantes locais (não em cadeias internacionais) e comprar produtos fabricados na região são atitudes que impulsionam a economia do país visitado e mostram à sua população que o turismo sustentável é uma alternativa econômica concreta à caça e ao desmatamento. A vida selvagem mal é percebida pela maioria da população de países das Américas do Sul e Central, quanto mais valorizada. Demonstrar interesse genuíno pela natureza e vida animal, e sentir prazer pelo contato com a cultura e língua locais, pode modificar valores. A Costa Rica é um exemplo.

Anúncios

2014, traga mais sorrisos

Padrão

Antes de ler, dá play. Com música fica melhor.

Como é difícil fazer retrospectiva de um ano. Principalmente quando o ano foi repleto de muitos acontecimentos marcantes. Tantos que chegam a ser incontáveis. Tantas pessoas cruzaram meu caminho esse ano – de tantos cruzei eu. Se eu pudesse definir o ano em uma palavra seria inesperado.

Começo 2013 com a certeza de que 2012 foi um divisor de águas.

Reencontro amigos, tiro um tempo de paz, faço listas e mais listas. Me aproximo da trupe do Fire Universitário, estudantes cristãos de denominações mil que me ensinam e cuidam. Entro o ano com uma equipe de trabalho linda, divertida e competente. Me espelho, aprendo, cresço e vejo que profissão sem amor não é nada. RP1 Comunicação, obrigada pela confiança e oportunidade. Muito grata!

Mudo de faculdade cheia de preconceitos e descubro uma trupe que funciona. Fazemos um vídeo cheio de abraços, que faz barulho entre os universitários – e em nossos corações.

Voo com Sarah até Porto Alegre e, para compensar a má experiência com a cidade, conheço Christian, Javier, Fernanda, Robson, Erika e Trevin – Chile, Brasil, Colômbia e USA.

O blog entra para a competição do Big Blog Exchange – explico aqui – e vejo um tanto de gente querida torcendo, se mobilizando e colocando o AnnaBeatrip entre os 100 mais votados do mundo e entre os 25+ das Américas – e eu bem sei que é um bloguinho pequeno, mas que já ajuda uns e outros.

Janeiro a abril

Conheço Marcelo Simoncini sem querer, em uma visita ao Hostel 7. Sem dúvidas, um dos nossos melhores presentes neste ano. Em uma hora nos tornamos melhores amigos e desde então nos falamos todos os dias. Tem gente que é assim, o coração reconhece. Assim como com Alex, lá de Uberlândia. Nos conhecemos num fórum de música (eu acho) no Orkut (!!!) e depois de anos de ausência mútua, ele me encontra no Facebook, em junho, e se torna minha companhia de longe de todas as horas. Não tem fuso horário nem indisposição – nem foto, mas fica minha eterna lembrança. Srta. Anne adora nossas tardes. Só tenho a agradecer por esses presentes da vida.

E então junho vem com aquele furacão. Indignação, revolta, reivindicações e coragem de muitos. Daria um livro falar sobre este momento que o Brasil passou. Muitos foram contra, falaram mal e acusaram os militantes de ‘sem rumo’. Para esses, minha compaixão. Me orgulho de ter participado de cada reunião, de cada ato de manifestação, por ser uma das sombras na cúpula do Congresso e por cada partícula de gás inalado. Se um dia quiser falar sobre isso, estamos aí. Por aqui fica a lembrança…

Compro livros e mais livros, me dou a chance de ter novas pessoas por perto e experiências. Me faço de Emília na festa junina e gasto tempo no parquinho com Anna Clara. A tenda do Cirque du Soleil aterrissa em Brasília e lá estamos mais uma vez. Todo cansaço é compensado pela magia e encanto de trabalhar com este time – beijo pro meu QG do barulho! kkk

Chega então o dia que eu tanto esperava: ver pessoalmente os incríveis integrantes do projeto Playing for Change. Um dia memorável. Sonhava tanto em vê-los que parecia mentira, demorei a acreditar que estavam ali, a pouquíssimos metros dos meus ouvidos.Não conhece? Meu, vem aqui. E foi melhor ainda por ter ido com minhazamiga loka – um salve Karol Conka.

maio a agosto

E já mais perto do fim do ano uma avalanche de coisas. Vou até Goiânia, passamos perrengue com o carro e rimos. Nada melhor do que estar com as pessoas certas nas horas erradas, não é? Assim são eles. São tantos nomes importantes neste circuito que seria injusto citar nomes, certamente esqueceria algum. Mas de Alice a Wellington, vocês fazem parte da minha escada rumo aos céus.

Estação Feminina também acontece pela primeira vez e temos a melhor experiência possível. Que incrível poder passar tempo com universitárias lindas e cheias de vida; mostrar pra elas que todo tempo é tempo de recomeçar. Thayana, preciso citar seu nome, porque você é um exemplo pra mim. Amo por cada minuto de desespero e alegria!

Mudo de emprego e entro no Ministério do Turismo ♥ – onde eu queria estar, mesmo que muitos não entendam. E sou agraciada com uma equipe bem humorada, que funciona em paz com 20 jornalistas (raridade no mercado kk). Mesmo que tirem sarro de mim dia sim, dia sim, I’m in love with you, guys.

Gabi, Caetano, Naty e eu vamos à Cidade do Rock pra conferir de perto John Mayer, Philip Philips e Bruce Springsteen. Experiência demais, sem nenhum imprevisto ruim ou reclamação. What a night! E ainda deu tempo de pegar a cota de sol na capital carioca. Cristo, vou voltar hein!

Pouco depois vamos até São Paulo. Minha primeira vez com tempo nesta concrete jungle. Gilberto e Larissa foram minhas companhias brasilienses e foi demais, o tempo com vocês é sempre muito precioso. Marcelo Simoncini nos recebe com a disposição de um exército inteiro e nos mostra a cidade como um morador vê. Sem palavras pra descrever este final de semana. Yuri muda de casa por um dia pra cuidar de mim, dodói no último dia de viagem. Bom, seria outra injustiça citar nomes aqui, porque foram muitos queridos nos acompanhando em Sampa também. Vocês sabem que vocês são.

E meu, nem acredito que vou falar isso.. Vi Stevie Wonder de perto pertíssimo. Agradecimento total ao Igor, Rayanne e Carol, que foram as melhores companhias para este dia. Que outras oportunidades venham. De quebra também vi Jason Mraz dividir o palco com uma banda sensacional, que roubou meu coração. rs Sem falar nas dicas de todo santo dia do Bibi, Gabriel para os não íntimos. rs Todo dia uma surpresa musical. Musicalmente mais do que grata em 2013!

No mais, essas carinhas que não poderiam ficar de fora desta retrospectivas de quatro laudas! rss Cada um sabe seu tempo e espaço neste ano e o quanto é importante. Aquela coisa de novo: o coração reconhece.

Friendsagosto a outubro

E o que falar da minha família? Nem sei. rs Imaginei que seria a parte mais fácil, mas me enganei. Choro só de pensar em começar a escrever, então resumo em agradecer e pedir perdão. Papai, mamãe e irmãos, minha família são vocês. Obrigada por cada risada e bronca também. Obrigada pela provisão, por não deixarem faltar e por confiarem em mim como poucos pais confiam nos filhos. Perdão pela impaciência e indelicadezas de tantos dias, vocês não merecem nada que não seja o melhor. Princess e João, obrigada por existirem e perdão por não ser a melhor irmã do mundo. Chego lá um dia.. Amo com aquele amor que mata e morre.

Sarah e Marina, minhas garotas de todos os dias. Pro engraçado e trágico. Vocês salvaram minha pele e meu coração neste ano. É incrível como laços são capazes de superar qualquer coisa, qualquer tempo. Gil, te amo por me ajudar a enxergar com outros olhos o que tinha desistido de ver. Por ser amigo antes de qualquer coisa e por acreditar em mim. Wellington, talvez você se surpreenda por estar aqui, mas nossos rolês em micro horário de almoço me salvaram muitos dias. Obrigada por tolerar minha correria e cuidar de mim sem saber. rs

Familia

E como não terminar falando de saudade? Aprendi a lidar com a distância, mas a saudade não tem jeito. Ela vai atrás da gente onde quer que seja. Este ano foi assim, marcado por muita ausência de quem eu queria por perto. Mas eles não tem culpa, nem eu, apenas distantes pelas fronteiras. Só de olhar pra essas fotos me acabo em lágrimas, porque tudo que eu queria era que coubessem no meu abraço e que estivesse por perto.

Sarinha, USA crew, Ingrid e Ailton, Rodrigo, Lucas, Felipe ♥, Ben e Karine, Yuri e Clara.

Seria injusto falar de um por um, mas seria mais ainda não citar você, Lucas. Você é o meu presente diário, mesmo. Tão longe e tão perto ao mesmo tempo. Amo você com um amor que eu não sei explicar, que a distância só aumentou. Obrigada pelo cuidado de todos os dias, pelas broncas, pelo ciúmes, pelo amor, por convencer Anna Clara a tomar banho pela webcam, por ser família. Tô chorando de saudade, como em quase todas as nossas conversas pelo skype.

saudade

“Anna, e as coisas ruins?”

Elas ficaram pra trás. Como disse Alex outro dia, o passado nos cega, mas ele não existe. Nem ele, nem o futuro existem, mas o presente sim.

Termino este ano grata a Deus, que olha de cima, de baixo e dos lados. Grata aos céus pela fé renovada, por cada rosto incrível que eu tive a honra de conhecer, pela provisão, saúde e cuidado diário.

2014, leve meus fantasmas e traga meus sorrisos

‘Free to dream’ por Babi Fernandes

Padrão

Muito bom ter seu próprio blog e poder, sem medo, indicar blogs queridos! Quero indicar não somente uma leitura, mas um blog que tem muitas reflexões ótimas. Babi Fernandes é uma nega linda que inspira todos que a rodeiam, não tem pra ninguém. kkk

Hoje ela fez um relato emocionante de uma viagem e, dizendo ela, pensou em mim e no ABtrip enquanto escrevia. Ficou lindo!
Vem cá ver!

enquanto o avião alcançava o horizonte e tocava o céu, o velhinho começou a me contar coisas incríveis, e todos os sonhos dele eram exatamente como os meus sonhos.

free-to-dream-bberdinazzi-blogspot

ps: olha como minha trupe é demais! me sinto kinder ovo ao contrário! kk

Amores

Bem lá do fundo…

Padrão

[…] e na esquina da minha rua com a sua, a placa já anunciava: amor sem saída

“Sei que você passa por aqui, às vezes, torcendo pra ler algo, qualquer coisa que seja íntima, pessoal, pra se sentir mais perto. Sei também que passo por todos os dias – todos -, com a esperança de que você não se esqueça.

Sou grata ao destino por cruzar nossos caminhos. E nossa! Tão ressabiada também. Se eu pudesse questionar esse tal destino, gostaria de saber o que ele ganha por unir dois corações que não podem estar juntos. Logo esses dois, que são mais corações que qualquer outro coração.

Saudade bonita. Saudade saudável que dói.
Venha com pressa, venha depressa.”

Curitiba

Livro da vez: Viajante Chic!

Padrão

“Viajante chique, Bia? Mas você não é chique ué!”

Tem razão! Não sou mesmo.. Mas me senti na obrigação de compartilhar essa leitura com vocês.
Ganhei este livro no dia da minha despedida da agência onde trabalhei até maio – pois é, dei uma pausa no trabalho pra conseguir me dedicar a outros projetos. Elas são fofas, sempre escolhendo presentinhos com ‘viagem’ no meio. Um salve pras leleks da RP1!

???????????????????????????????

Então, uma tarde é o suficiente pra você consumir todas as páginas, mas eu acabei levando uns três dias. O livro é curtinho e a leitura é muito boa! Ele é dividido por vários tópicos: pelo ar, pelo mar, em terra,  mala, etc!

No início achei que poderia não gostar pelo fato de ser escrito pela fina da Glória Kalil, mas me enganei. Ela traz dicas muito úteis, muito mesmo, e relata imprevistos pra gente não passar pelo mesmo sufoco. Não é um livro caro (R$25 a R$30), é pequeno, cabe na bolsa, então acho que é uma ótima opção para presentear o amigo viajante. Volto a dizer: não é um guia completo, que traga qualquer filosofia, nada disso. É um manual prático para facilitar nossa vida na hora de embarcar numa viagem qualquer.

Dicas de como aproveitar os dias num cruzeiro, dobrar as roupas para não amassar, conexões/escalas, etc e tal! hehe Todos esses toques você encontra no livro, achei bem bacana mesmo. Fica aí minha opinião e dica! :)

???????????????????????????????

???????????????????????????????

???????????????????????????????

Quem disse que pra viajar precisa pegar avião?

Padrão

Quem me conhece sabe que sou fã de leitura. Desde muito nova tenho muito apego com livros e mesmo – quase – sendo gente grande isso não mudou. #faltatempo

Quem nunca se pegou apaixonado por um personagem ou completamente envolvido com alguma história da literatura ainda NÃO leu um livro. Afirmo isso sem medo porque um bom leitor (de livros de literatura, reforço) sempre se doa à leitura e investe horas preciosas naquela obra. Eu me apaixonei por muitos livros, muitas histórias e personagens, e inevitavelmente viajei na imaginação e na emoção com todos eles. Por este ‘simples’ motivo, resolvi trazer esse assunto gostoso pro blog. :)

No meu aniversário de 16 anos ganhei um livro de um amigo querido da família, do sábio Paulo César. Engraçado que, mesmo sendo uma fiel leitora, não dei a menor importância para aquela obra de 399 páginas. Deixei aquele livro na estante por 2 anos. Isso mesmo, DOIS anos! Num belo dia, aos 18 anos, ele me chamou a atenção. Eu diria que tudo tem seu tempo mesmo, porque fiquei apaixonada pela capa naquele momento, MESMO tendo olhado pra ela inúmeras vezes durante esse período todo. Depois desse olhar fatal (rsss) eu soube: estava apaixonada por ele, A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón.

A leitura é muito envolvente, do início ao fim. Conta a história de um jovenzinho, Daniel, que em seu aniversário é levado pelo seu pai a um lugar misterioso, conhecido por poucos, o Cemitério dos Livros Esquecidos. Lá ele ganha o direito de escolher um livro, mas fatalmente é escolhido por A Sombra do Vento. Daí pra frente muita coisa acontece e você se perde nas quase 400 páginas. Apesar de ser vivido na pele de um garotinho, a obra não é nada infantil.
ps: serei eternamente apaixonada por Fermín, um personagem incrível e cheio de bom humor.

Sem dúvidas é um excelente livro pra viajar na imaginação. É impossível ler e não se colocar em cada situação ou visualizar as cenas descritas. Pode levar na mala, ele com certeza compensa as horas de espera na rodoviária ou num aeroporto. Sou completamente apaixonada mesmo! hehe
Nas livrarias ele custa em média R$ 40, mas é claro que vai encontrar mais baratos se for usado.

Mas e você, já se apaixonou por algum?

ps: e aí, o que acham desse tipo de dica? devo continuar falando dos meus favoritos? rs

Beijinhos!