Arquivo da categoria: Como chegar?

Pertinho do Brasil, mas tão diferente

Padrão

Hoje a dica é da Carolina Valadares, amiga querida e jornalista. Ela esteve no Uruguai semanas atrás e me deixou com vontade de conhecer o país. Gentilmente se ofereceu pra contar a experiência e mandou muito bem :)

“Fui para o Uruguai sem nenhuma grande expectativa e confesso que essas viagens que a gente não espera nada são sempre as melhores. Me surpreendi pela sua gente amável e educada, pelos índices de alfabetização (98%) e segurança. E além de tudo, é pertinho do Brasil, 2h30 de São Paulo.

Foram quatro dias na cidade de Montevideu onde pude conhecer a Cidade Velha, bairro onde fiquei;  Pocitos, a beira do rio da Prata, o mercado do Porto; mas fiz também viagens curtas de um dia até a cidade histórica Colônia de Sacramento; a praia de Puntal del Leste e Punta Ballena, onde fica a casa do artista Carlos Paez Vilaró, chamada Casapueblo passeio imperdível.

punta

Vilaró foi um grande artista uruguaio que morreu esse ano. Amigo de Picasso e de Vinícius de Moraes, ele pintava, fazia esculturas, cerâmicas e até escrevia. Seus quadros são coloridos, alegres e povoam a Casapubelo. Mas interessante também é a construção do lugar que ele mesmo fez durante mais de 30 anos, de frente para o rio da Prata. A construção toda branca lembra as casas da Grécia e tem uma vista belíssima pra apreciar. Muita gente vai até a Casapueblo somente pra assistir o por do sol. Eu não vi, mas deve ser demais. Reserve ao menos um período do dia para ir lá e o outro pra ir a Punta. Assim poderá ver as pinturas com calma e apreciar a bela paisagem. Uma parte da casa foi vendida para um hotel, então se tiver vontade já pode se hospedar lá mesmo.

Outro passeio bacana é pegar um ônibus de Montevideu até Colônia de Sacramento. São 180 km numa estrada perfeita que parece um tapete. Uma parte da cidade é patrimônio mundial da Unesco, as casas são antigas em estilo colonial, pintadas de branco com janelas e portas coloridas, outras são de pedra e as ruas de paralelepípedo. Há vários museus, uma igreja e um farol. O lugar é um charme e também convidativo para curtir uma cerveja na rua ou uma boa comida em um de seus restaurantes.  Na praça principal dentro do bairro histórico tem uma lojinha de fotografias que é uma viagem no tempo, chama-se De la Plaza.  A loja pertence a um gaúcho que mudou-se pra Colônia e hoje vende fotos do Uruguai, há também objetos antigos curiosos.

uruguai

Quem gosta de tomar vinhos, vale uma espada de Montevideu até a vinícola Bouza. Nesse caso contratei um tour para degustação e valeu a pena! Eles nos pegaram no hotel em Montevideu e nos levaram até a bodega, que é pertinho da capital. Dentro do estabelecimento dá pra visitar os parreirais, uma coleção de carros antigos, o lugar onde é feito o vinho e onde é armazenado. Ao final da visita guiada, há uma degustação deliciosa no restaurante que fica numa construção charmosa de tijolinhos aparentes.

No Uruguai, um hábito que chama atenção é que as pessoas usam muito as praças e ruas para tomar chimarrão. Eles se sentam em grupos nos bancos ou na própria grama ou ainda naquelas cadeirinhas de praia.  Fui durante o mês de outubro que não é mês de férias, mas mesmo assim o clima era esse. Há muitas pessoas na rambla (calçadão) que percorre a cidade de Montevideu de frente para o rio da Prata e mais parece um mar. Há muita gente também jogando futebol nos gramados e tudo com muita tranquilidade. O senso de coletividade é presente e a vida parece tranquila.Vale a pena uma escapadela por lá.

Ah, e os preços são mais ou menos os mesmos daqui.”

Saiba mais:

http://www.uruguai.org/
http://carlospaezvilaro.com.uy/nuevo/en
http://www.bodegabouza.com/

(re)encontro de sexta

Padrão

Se tem uma coisa que eu amo é receber na minha cidade amigos que conheci por aí. E posso dizer que isso acontece com certa frequência…

Na última sexta-feira (27), recebi a Ingrid, mais conhecida como Brow. É uma história típica de quem viaja: conheci essa alma bem humorada de João Pessoa (junto com Ailton! bjo!) quando fui a Curitiba com Sarah. Desde então, nunca mais nos encontramos. Mesmo assim, sempre trocando ideia pelo facebook e prometendo um reencontro. Quando foi quinta-feira, recebi mensagem surpresa de que ela estaria desembarcando em Brasília e teria apenas de 11h às 15h para passear.

Fiz uma ginástica absurda pra conseguir encontrá-la, já que não tenho previsão para ir a João Pessoa :( O ideal é que Sarah estivesse no meio dessa saída express, mas como uma universitária refém dos horários de Federal, não deu. Mas daremos um jeito no futuro! Pra completar, tinha marcado de encontrar meu amigo Wellington no nosso batponto de almoço, Museu Nacional. rsrs Então ele se juntou à trupe e fizemos um passeio de 30 minutos. Almoçamos no carro, enquanto mostrava os pontos turísticos. rs Foi rápido, mas muito bom!

Brow em BSB

não repara a cara de esbaforida! kkk

DICA: Ingrid seguiu minha indicação e pegou o ônibus executivo, que sai do aeroporto de Brasília e te leva para o centro. Foi a melhor coisa que ela fez, segundo ela. Evitou pagar uma fortuna de táxi, já que a distância é bem significativa. Escrevi um post pro Poltrona Livre falando sobre as opções de transporte saindo do aeroporto. Vem aqui ver! :)

Acho que vou fazer mais posts contando desses reencontros.. Vai que assim vocês ficam mais inspirados a viajar e conhecer pessoas incríveis como a Brow? ;)