Arquivo da categoria: América do Norte

Meu rolê pelas praias de LA

Padrão

Outro dia constatei que o post mais acessado do blog é “Onde se hospedadar em Los Angeles” e percebi que nunca falei muito desta cidade por aqui. Ao todo, passamos cerca de três semanas só em LA, o que tornou alguns bairros bem familiares. Por isto, decidi separar umas dicas úteis da cidade que abriga a calçada da fama.

Beaches capa

Começo relembrando um post sobre as praias de LA – Santa Monica, Newport Beach, Long Beach, Laguna Beach e Malibu. Falei um pouquinho sobre quatro delas aqui e reuni as imagens num vídeo, já que eu nem gosto né? rs

Curiosidade: Ao final, vocês verão uma performance pra lá de engraçada e já vou explicar. Eu e Naty nos conhecemos na 6ª série (!) e amávamos o seriado The O.C., que tem a música Califórnia como tema. E eis que ouvimos, coincidentemente (porque o ipod da Naty deu problema e a gente jamais saberia qual seria a próxima song haha) a mesma música sete (7!!!) anos depois, na Califórnia. Demais né? Agora pode dar play! kk

Fotos: AnnaBeatrip

Ah, maravilhoso 2014 pra vocês!

Anúncios

Las Vegas, um olhar além da Strip

Padrão

Com fé na segunda-feira entra post cheio de calmaria. rs Mas enquanto não consigo parar pra colocar tudo no papel, deixo Flávio, amigo querido, contar a experiência dele na imperdível Vegas.

Vista

“Aproveitando uma daquelas Mega Promoções, R$700 ida e volta de Brasília-Atlanta, fui para Atlanta e Las Vegas (passagens internas de mais 700, ida e volta ATL – LAS)!

Promoções para Atlanta ou Miami são sempre muito interessantes, pois são portas de entrada para os EUA, dessas cidades é possível ir para todos os grandes centros com voos diretos, ou poucas conexões!

Embarquei em Brasília com destino a Atlanta e fiz uma conexão rápida em Miami. No aeroporto de Atlanta, em apenas 4 horas já estava a caminho de Las Vegas. Com as 5 horas de fuso, tive um dia de 29 horas!

Hotel em Las Vegas

Como decidi ficar 7 dias em Vegas, e hotéis são a grande atração da cidade, me hospedei em 3 hotéis diferentes, mais a frente falo os prós e contras dessa decisão!

Fora da Strip

Suncoast Hotel and Casino

Vou começar pela coisa mais diferente da viagem, no sábado, que é o dia em que os hotéis são mais caros em Vegas. Decidi ficar no Suncoast Hotel and Casino que, por estar fora da Strip, estava com um preço ótimo, R$119,29 o quarto para 4 pessoas (ótimo mesmo hein gente!). O hotel fica um pouco longe do centro da agitação, mas em uma área muito nobre, dentro de um campo de golfe, ao lado de outros hotéis, e com um público mais selecionado. Peguei um quarto com vista para o campo de golf, simplesmente a vista mais linda de Las Vegas, não há janela, a parede é toda de vidro (!!!), o campo de golf abaixo, a cidade ao longe rodeada de montanhas!

Suncoast Hotel and Casino

Tivoli Village

Bem ao lado hotel está o Tivoli Village, um centro comercial, com restaurantes granfinos, galerias de arte, jolheria e outros, um lugar para milionários, mesmo assim, é possível curtir muito o ambiente requintado sem gastar nada, ou quase nada!
Fomos lá à noite, estava rolando um som bacana, uma festa bem família, tocou até Macarena e algumas músicas brasileiras [a festa era free, mas não comprei a pulseirinha que dava direito a ilha de bebidas, uma pechincha de $1300 (ouch!)]. Essa saída da Strip foi bem no meio da viagem, então a ideia era um programa mais tranquilo, se for passar mais de 5 dias, recomento muito essa pausa cultural. O local é fantástico.

Tivoli

Stratosphere Casino, Hotel & Tower

Stratosphere Hotel (já falei dele aqui!), não é tão luxuoso, e fica bem na ponta da Strip, se for ficar lá tem reservar um quarto novo. Mesmo assim tem a torre com um parque de diversões lá em cima, parada obrigatória! Fui para lá no primeiro dia, pois você chega muito cansado da viagem, não dá para aproveitar muito! Hóspede (turista paga taxa pra subir e + um pouco pra curtir o parque de diversão!) pode subir na torre quantas vezes quiser e de graça, fomos no segundo dia às 9h30, hora que abre! Simplesmente único!

Stratosphere

Rio All-Suite Hotel & Casino

Um hotel ao lado da Strip, perto do agito e com preços bons. Mas mesmo sendo perto, tem que estar de carro!

Como foi a minha primeira vez em Las Vegas acho que valeu muito a pena aproveitar os preços e ficar em mais de um hotel, eu aluguei um carro por um preço baixíssimo e circulei por toda cidade. Mas éramos apenas 2 pessoas, cada um com apenas 1 mala pequena, e pegamos uma fila gigantesca para o check-in no Rio. Como não fiquei no centro do agito precisei de carro, e com carro não é possível beber (beber e dirigir nos EUA dá cadeia). Para quem estiver em uma viagem de farra ou com muita gente, recomendo ficar em um hotel na Strip, próximo ao Bellagio, Encore, Luxor, para poder circular a pé!

Quem quiser explorar mais acho que vale a pena pelo menos 2 hotéis, aproveite para ficar no mais caro no dias de segunda a quinta e no mais barato de sexta a sábado!

Depois mando mais informações só sobre o Grand Canyon!”

Fotos: Flávio Brito/Divulgação

Valeu, querido!!! Você me fez querer voltar pra essa terrinha mais do que nunca. E vamos combinar que a gente até escreve parecido. rs

Dicas do mundo de Walt ✶

Padrão

Na semana passada, recebi a sugestão pra falar um pouquinho sobre a Disney. Cheguei a pensar que sairia da rota do ABtrip, mas pensei duas vezes e entendi que seria muito legal, afinal, muitos de vocês já foram ou tem vontade de conhecer esse mundo encantado. Nada mais justo do que falar em poucas palavras como aproveitar melhor essa trip…

Eu nunca fui e confesso que nunca tinha tido interesse até ouvir amigos adultos que foram pra lá. Sim, um passeio nada barato ou de backpacker, mas tem tudo pra ser muito divertido e render momentos ótimos com a família.

disney-world-destaque

Quando o sonho de conhecer a Disney vira realidade, é preciso estar muito bem preparado. Afinal, o destino até pode ser o maior parque de diversões e variedades do mundo, mas a viagem é muito cara – e rara – para que você possa deixar qualquer coisa atrapalhar o seu caminho!

Para me ajudar, o pessoal da Tia Eliane Tour listou cinco dicas básicas de como aproveitar bem a Disney.

1. Priorize o conforto

Não dá pra querer andar quilômetros e quilômetros no maior parque do mundo com roupas quentes ou sapato de salto, né? Por isso, optar por roupas leves e frescas e usar o calçado mais confortável é mais do que apenas uma dica: é palavra de ordem.

2. Viaje em grupo 

Certas viagens remetem os viajantes a um tempo a sós consigo mesmo, para se descobrir e se aventurar sem amarras (♥♥♥) – mas a Disney é justamente sobre como viver, se divertir e aproveitar em grupo. Por isso, não importa a sua idade, chame os amigos para viajar com você ou escolha uma excursão da qual fazer parte. Espírito de aventura e alegria durante os dias na Disney é o que não vão faltar quando se tem as companhias certas.

3. Alimente-se bem

Não deixe que um ou outro probleminha com a comida local possa estragar seus bons momentos: na Disney é preciso alimentar-se bem, principalmente no café da manhã, e tomar bastante água conforme o dia passa. A dica é simples: não tente se aventurar muito em temperos que você desconhece e leve sempre um antiácido na bolsa.

4. Pode escolher um mês? Vá em outubro!

Durante a alta temporada da Disney, em julho, os Estados Unidos vivem o verão – e isso pode significar calor excessivo, chuvas e todas as outras coisas que já conhecemos no verão daqui. Em outubro os parques já estão menos propensos a pancadas de chuva e, o que é melhor, se preparando para receber o Halloween. Diversão sem se estressar!

5. Não perca seus minutos

Todo e qualquer segundo de uma viagem à Disney deve ser aproveitado como tal, então nada de ficar com preguiça, levantando tarde, ou encher a cara nos bares para perder a melhor parte da festa. Faça de tudo para aproveitar essa viagem inesquecível, desde os passeios às compras, e tenha certeza de que sempre há mais o que ver no dia seguinte. Desse jeito a viagem fica mais divertida e você volta pra casa morrendo de vontade de curtir a Disney de novo.

Artigo escrito com a colaboração do site Tia Eliane (http://www.tiaeliane.com.br/)

Disney capa defDisney mapa(mapinha da ‘cidade’)

Las Vegas pra lá de inusitada

Padrão

Se você é meu amigo, ou já vasculhou o blog, deve saber que passei um mini temporada nos Estados Unidos há quase um ano e meio. Relatei aqui no blog meu dia a dia, mas até hoje não tinha editado os milhares de vídeos que gravamos por lá.

A verdade é que não sei se farei uma viagem tão engraçada como essa de novo. Vocês não imaginam o que passamos, os perrengues, os imprevistos e apuros. Bom, fiquei tão animada ao assistir nossas peripécias, que resolvi tirar umas horinhas e editar pra vocês verem. Nem preciso dizer que a nostalgia é level 480! Morrendo de saudade de cada num, de cada canto, de cada risada.

Esse aqui resume em alguns minutos nossa ida a Las Vegas, do início ao fim. Como naquela época não imaginava que o AnnaBeatrip ainda estaria aqui (a ideia era só um diário de bordo daquela viagem), não filmei com a intenção de repassar dicas, nem nada. Por isso vocês vão perceber que é por pura bagunça mesmo. =) E antes que perguntem cadê os vídeos da farra/balada?,  já vou dizendo que esses nem foram feitos e que filmagem de balada em LV é até clichê! rs

ps: roubei foto dos fofuxos pelo facebook!

Se eu fosse você, assistiria só pra ter uns minutos de risadas e aprender com nossos erros! rs

Praias de LA – reprise

Padrão

Vocês sabem que já colaborei algumas vezes com o Jornal Brasília Capital, na editoria de Turismo, mas a novidade é que o jornal ganhou um portal. E como parceira, vou escrever uma vez por semana para o Bsb Capital =)

Essa semana dei a dica de um passeio muito legal em Los Angeles, e apesar de já ter falado rapidamente sobre ele aqui, achei legal postar pra vocês também.

……………………………………………………………….

Pode parecer que sim, mas falar de Los Angeles não é clichê. Afinal, diferente do que todos imaginam, Los Angeles não é apenas uma cidade, mas uma das 88 que compõem o Condado de Los Angeles.

No final de 2011, tive o prazer de passar uma temporada em território californiano, e gastei a maior parte da viagem descobrindo todos os cantos da famosa LA. Entre tantas dicas, gostaria de recomendar um passeio muito gostoso que fiz por lá: um tour pelas praias da redondeza.

O ponto de partida depende da sua localização, mas vou levar em conta que o turista geralmente parte do centro da cidade, como eu fiz. Minha dica é: alugue um carro e passe o dia conhecendo as praias. É bom que, se tiver tempo, você pode voltar naquela que mais gostar.

Rota - Praias de LA

A primeira parada é Santa Mônica. O bairro é bem badalado e conta com uma turma grande de turistas graças ao famoso Pier de Santa Monica. De lá, a vista da praia é linda e você ainda pode brincar no parque de diversão ou comer um algodão doce. Não deixe de guardar umas conchinhas!

Santa Monica Pier

De lá, siga para Long Beach, uma praia que tem um mar que mais parece piscina de tão calmo. Com areia branquinha e um clima muito agradável, a praia atrai um público mais tranquilo, que prefere caminhar pela orla e sentir a brisa bater no rosto. Como eu disse, vale a visita, principalmente se quiser relaxar por alguns instantes.

Long Beach

Continue nesta rota e vá para Newport Beach, a pouco mais de 30km de Long Beach. Nesta praia a rotina continua sendo tranquila, mas o mar é mais agitado e a presença das pedras dá um astral descontraído. Eu gostei muito pelo fato de ser delicada e, ao mesmo tempo, imponente. Não tem comércio ou barulho, ideal para curtir o visual do lugar.

Newport Beach

Por último, estacione na badalada Laguna Beach! Essa aqui dispensa comentários. O local ideal para você encontrar gente bonita, vôlei de praia, xadrez e piquenique à beira da praia. É muito agradável, com vários restaurantes e sorveterias, além de lojinhas diversas. Aproveite para se exercitar e conhecer gente nova!

Laguna Beach

Fotos: AnnaBeatrip

Legal né? Super recomendo!

ps: acho até que gravei alguns vídeos no dia que eu dei esse rolê. Vou procurar e postar aqui também.

*Esse texto foi publicado, primeiramente, no portal do Brasília Capital.

Onde ficar: Los Angeles!

Padrão

Preciso confessar que curti muito quando a fofa da Linda me pediu dicas de hospedagem em Los Angeles/CA. Há quem critique muito essa cidade, mas eu fiquei encantada e voltaria outras vezes…

Ah, pra quem não sabe, esse blog nasceu da ideia de fazer um diário de bordo quando fui à Califórnia, então anotei quase tudo o que fiz e por onde andei. Por esse motivo acho que posso ajudar um pouquinho meus amigos…

Linda e Samuel vão pros States na mesma época que eu fui, no inverno, e querem economizar com a hospedagem para aproveitarem em outras coisas. Fazem muito bem!

É muito importante que você escolha bem sua hospedagem, um lugar seguro, de confiança e limpo. Mas fazer economia não é sinônimo de precariedade, a gente pode, sim, ficar bem acomodado por menos $. Fiquei hospedada em três diferentes hotéis em Los Angeles, e especialmente apaixonada por um. Bom, vou falar brevemente sobre cada um deles…

Royal Palace Westwood Hotel

O mais amado de todos, sem dúvida! Eu e as meninas desenvolvemos um amor pelo Royal, até porque, foi nele que ficamos nossas duas primeiras semanas e fomos muito bem tratadas.

A localização dele é muito bacana. Fica em Westwood, bairro badalado de Los Angeles, no mesmo quarteirão da UCLA, BestBuy, Starbucks, Denny’s, Coffee Beans, Victoria Secrets, etc.
Se você andar 5 minutinhos, pra qualquer direção, vai encontrar a loja cool Urban Outfitters, rua de restaurantes temáticos, drogarias ótimas, cinemas (aqueles que tem bilheteria pomposa de filme americano, sabe?) e o melhor cookies and cream do mundo! É um sanduiche de cookies quentinhos com uma bola de sorvete. Fala sériooo gente! É indecente de bom!

Os quartos são excelentes, o melhor que ficamos durante toda a viagem. São amplos, muito confortáveis, com camas enormes. Tem até uma copa com frigobar, microondas, pia, armários e uma mesa de 4 lugares pra fazer suas refeições. O banheiro é grande também, dá pra acomodar todos os cosméticos e maquiagens! rsss

Não é dos mais baratos, mas eu super recomendo pra quem quer conforto, comodidade e segurança. O café da manhã também é uma delícia, não é um banquete com mil opções, mas as rosquinhas doces e os croissants se tornaram nossos vícios (com direito a marmita escondida pro quarto! hahah).

Valor referente a uma diária para 2, 3 ou 4 pessoas: R$200,00 a R$400,00 – depende da temporada

Hollywood Downtowner Inn

Sem dúvidas, a grande vantagem desse aqui é a localização. Ele fica no coração da Hollywood Boulevard, a pouquíssimos metros das famosas estrelas da calçada da fama. Fica bem próximo ao metrô e a vários comércios legais, com Starbucks e Dress for Less. O hotel é de uma família indiana e tem cara daqueles condomínios americanos. Sabe aqueles prédios de 2 andares, extensos, onde mora muita gente e geralmente aparece em filme de gangster? Pois é, só que numa versão miniatura e bem bonitinho. rss

Os quartos são bem razoáveis, não são muito grandes, mas são limpos e as camas são boas. No pátio tem uma piscina e uma mesinha onde a galera aparece pra tomar alguma coisa e jogar baralho.  O café da manhã não é lá essas coisas, nem muito organizado, mas se você chegar cedo vai encontrar bacon, ovos, panquecas e waffles bem novinhos. Ah, o café é servido ao lado do hotel, numa espécie de salão/lanchonete. Por sinal, ao lado de uma locadora de carros, o que pode facilitar muito a vida do turista.

Valor referente a uma diária para 2, 3 ou 4 pessoas: R$180,00 a R$250,00

Nos últimos dias fomos para um terceiro hotel em Santa Mônica e, apesar de ter tirado fotos, não anotei o nome. Acredita? Mesmo assim, falei um pouquinho sobre ele aqui.

Como eu disse, não são os mais baratos, mas são os que eu fiquei e posso falar com precisão. De qualquer forma, já estou buscando outras alternativas, assim que souber, trago pra cá. =)

Quem conhece Los Angeles, saberia indicar mais algum? Pode ser hotel, hostel, albergue ou motel (nos EUA, motel é hotel de estrada).

=) Praticando o desapego =(

Padrão

Lembro como se fosse ontem da primeira viagem sozinha, aos 15 anos, sem meus pais, sem um amigo sequer! Acontece que a banda que eu mais gostava ia fazer um show em São Paulo e não encontrei ninguém que topasse ir comigo. Foi então que descobri uma caravana saindo de Goiânia e não deu outra: lá fui eu naquele ônibus cheio de desconhecidos. Eu só sabia os nomes dos responsáveis pela caravana, ou seja, dois dos trinta passageiros. hehe Minha maior surpresa foi ter conhecido pessoas tão legais e  ter vivido momentos tão bons em tão pouco tempo, afinal, a viagem (ida+show+volta) não durou 72h. Depois disso nunca mais parei de perambular..rss

O pior (ou o melhor) é que desde essa data vivo com o coração na mão e tentando descobrir uma forma de sentir menos saudade de tudo e de todos. Não é fácil, viu? Em todas as minhas viagens deixo um pedacinho de mim.
ps: Curitiba é meu trauma ‘bom’ mais recente..hehe

 E é assim com a maioria, não? Viagem de férias ou até aquela inesperada, de última hora, é um perigo! Quase todo mundo acaba se apaixonando... Seja por um alguem ou por todos os alguéns, seja pela cidade, pelo hotel, pelo clima ou até pelo café da manhã (diz aí Naty! rss). É inevitável não se prender ao desconhecido, não depositar boas expectativas e achar que aquele lugar e aquelas pessoas são as melhores do mundo! Carrego no meu coração cada lembrança boa com muito amor e em alguns casos (muitos!) mantenho fortes laços e acabo reencontrando essas pessoas queridas por aí…

Viajar, se desafiar a viver novas experiências, implica em saber lidar com as emoções também.
Eu tenho aprendido a ser tolerante, mais compreensiva, a ceder e a não ser enganada pelas aparências. Estar aberto a novas possibilidades e disposto a quebrar alguns tabus é essencial pra quem decide levar a vida assim. Nada tem a ver com quebra de princípios e valores, mas com o simples fato de dar oportunidade ao ser humano.

Praticar o desapego é entender que a vida passa. É duro pensar assim, mas é desse jeito. A vida passa, os momentos e pessoas passam. É preciso entender esse ciclo e aproveitar. Chorar faz bem (eu seeempre choro), mas o choro não deve durar uma eternidade, nem te trazer o constante sentimento de querer voltar no tempo, mas de prosseguir e poder viver de novo.
Praticar o desapego não é ‘praticar a frieza’, mas aprender a tirar o melhor de cada situação e de cada pessoa, pra que no futuro você se lembre com um sentimento bom. 

Vocês também entendem dessa forma? Passam por isso? Impossível não crescer e aprender não é?

Beijo muito especial pra todos aqueles que conheci fora da minha zona de conforto.
Vocês tem feito minha vida valer mais a pena!